Publicado em Sermões e Esboços

Lidando com Empregados Problemáticos


Por Rick Boxx

Um dos mais difíceis problemas enfrentados pelos administradores diz respeito à gestão de pessoas. A reclamação mais comum tem a ver com o empregado problemático. Muitos ambientes de trabalho têm pessoas que espalham dissensões à sua volta, sempre que podem. Elas fazem pouco caso das outras, dão início a rumores, ou exibem um comportamento mesquinho e insensível em relação aos companheiros de trabalho.

Conheço o director executivo de uma empresa que enfrentou esse tipo de problema. Certo empregado, de longa data, tivera um desempenho satisfatório na organização por muitos anos. Quando o negócio se expandiu, tornando necessária uma maior interacção entre ele e os demais empregados, as suas deficiências tornaram-se evidentes. Ele ridicularizava os outros funcionários, causando divisões e até mesmo fazendo observações impróprias para – e sobre – o dono da empresa. A pergunta desse executivo para mim foi: “O que faço eu com esse empregado problemático, já que ele está na empresa há tantos anos?”

Provérbios 22.10 tem a resposta: “Quando se manda embora o zombador, a briga acaba; cessam as contendas e os insultos”. Quando alguém está na empresa por muito tempo e esses problemas não foram sanados no passado, há uma maneira justa e apropriada para se lidar com a questão. O resultado final, porém, será uma de duas alternativas: ou a pessoa muda ou deixa a empresa.

Sugeri ao executivo solucionar o problema da seguinte maneira:

  1. Certifique-se que ele tem consciência do problema, explicando-lhe cuidadosamente a situação, com exemplos específicos.
  2. Comunique-lhe claramente as expectativas futuras, dando-lhe tempo para as mudanças necessárias.
  3. Se houver mudanças positivas, encoraje-o e vigie o seu comportamento para evitar retorno às atitudes e acções anteriores.
  4. Se não acontecerem as mudanças requeridas, dispense-o.

Muitos administradores bondosos considerarão esta atitude dura e extremada. Porém, se realmente acredita em desenvolver pessoas para que atinjam o seu melhor, é preciso, às vezes, exercer disciplina quando não acontecem as mudanças necessárias. Se for permitido aos “zombadores” – como a Bíblia os chama – continuar com os seus comportamentos impróprios sem correcção, eles não terão nenhuma motivação para mudar. E o seu impacto negativo na organização continuará.

Como diz Provérbios 9.12: “Se és sábio, para ti mesmo o és; se és zombador, sofrerás as consequências”.  A sua insistência numa mudança de comportamento – ou outra – pode ser um estímulo para que a tolice de um indivíduo que causa divisões, comece a transformar-se gradualmente em sabedoria.

Se tem um empregado problemático na sua empresa, considere o conselho de Salomão e livre-se dele, seja através de uma mudança de comportamento, ou da sua remoção física da companhia. Tal medida pode parecer dura, mas a longo prazo pode resultar na transformação de um empregado, tornando-o produtivo e melhor para o próximo empregador.

Anúncios

Autor:

Pastor Titular da Igreja Caminhar em Cristo em Curitiba/PR - Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s