O Comportamento Do Cristão


 Por Dave Crowley

Quando os cristãos se rendem totalmente ao Cristo vivo, suas vidas são transformadas e, como os cristãos primitivos, eles se tornam verdadeiras testemunhas do Salvador ressurreto. Ser um mero cristão professo não é o suficiente. A vida cristã não tem significado se o Cristo ressurreto não viver verdadeiramente no crente.

Esta experiência celestial só pode ser conhecida pelos crentes que realmente nasceram de novo.

Paulo lembrou os crentes de Colossos que se eles quisessem ser cristãos no verdadeiro sentido da palavra, precisavam entender que estavam começando uma nova vida em Cristo. Eles foram aconselhados pelo inspirado apóstolo com estas palavras:

“Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as cousas lá do alto” (Cl 3:1). Ele lhes disse  que no novo nascimento teriam que “despir-se da velha natureza” e  “revestir-se com a nova natureza.”

Esta nova natureza foi demonstrada pelo espírito de Cristo neles. E a fim de Cristo ser manifesto neles, teriam de fazer duas coisas: teriam de “despir-se” das velhas práticas pecaminosas; e depois teriam de “revestir-se” da nova conduta e comportamento de um cristão. É importante que observemos tanto o conselho negativo quanto as instruções positivas que foram dados.

Note as palavras no versículo 5: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena…” A palavra “fazer morrer” significa “tornar morta”. Considere como mortas aquelas velhas práticas pecaminosas: “fornicação, impureza, paixão lasciva,” etc.

Vamos ainda ler este versículo em uma outra tradução: “Fazei morrer portanto aquilo que é terreno em você: imoralidade, impureza, paixão, maus desejos, e cobiça, que é idolatria… agora, despojai-vos também de todos estes: ira, indignação, malícia, maledicência e toda linguagem imprópria da vossa boca”. E assim por diante.

Isto quer dizer que se você nasceu de novo, se você entrou na nova vida com Cristo, estes velhos pecados da carne devem ser mortificados, tornados mortos. Pois, se em seu coração habita a imoralidade, e sua mente está cheia de pensamentos impuros, e suas paixões e desejos malignos têm permissão para transitarem livremente, e se você é cobiçoso com relação às coisas deste mundo, então você nunca poderá demonstrar Cristo.

Se você guarda mágoa de outras pessoas, fica zangado com seu próximo, alimenta o ódio e usa sua língua para falar palavras torpes, para blasfemar e difamar, você certamente nunca convencerá uma viva alma de que é um seguidor de Cristo.

Dê Evidências de Uma Vida Transformada

 

Portanto, o remédio é cultivar as mais nobres virtudes da nova natureza, e permitir ao Espírito de Cristo possuí-lo de tal forma que se tornará um hábito para você irradiar graça e vida as quais provarão à pessoa mais incrédula que sua vida foi transformada, mudada; e que embora você antigamente tenha andado na concupiscência da carne, agora está revestido com a natureza celestial que é a herança de todos aqueles que nasceram no reino celestial.

Então, nos foi ordenado “revestirmo-nos” destas qualidades divinas. Ouça à Palavra de Deus: “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados…” Agora são mencionadas vestes da justiça. E se você tem este tipo de veste, o povo deste mundo saberá que você é cristão.

O que são estas vestes? A primeira a ser mencionada é a veste da misericórdia (Cl 3:12). Esta é uma palavra rica no seu significado. Significa, literalmente, o amor de Deus em você saindo para alcançar seus semelhantes.

Você nunca desprezará nenhum indivíduo humano se você amá-lo como Deus o ama. Se você se colocar no lugar dele e lembrar-se que foi por ele que Cristo morreu, assim como morreu por você, se o seu coração puder alcançar aquela pessoa com um interesse autêntico por ela, você nunca terá más intenções e nem guardará rancor contra ela; porque amor e ódio nunca podem habitar juntos. Então, “dispa-se” da ira e malícia e “revista-se” do espírito de misericórdia.

Em seguida vem a veste da bondade. Bondade é o amor em ação. Você nunca pode ser hostil, desagradável ou áspero com alguém se você o ama. Pelo contrário, você pode perdoar facilmente sua atitude hostil ou desagradável para com você. Você não tentará “acertar as contas” com aqueles que prejudicaram você.

Tente esta fórmula: retribua com bondade a cada ação desagradável que alguém fizer contra você; isto funcionará maravilhosamente. Pense em como o mundo seria se o espírito de bondade cristã estivesse nos corações de todos os homens. Bem, isto pode acontecer,  no que nos diz respeito, se nós, que “temos nos revestido de Cristo”, praticarmos o espírito de bondade todos os dias de nossas vidas.

Além disso, temos também a veste da humildade – “humildade de mente”. Um dos piores pecados da carne é o orgulho. Hoje, muitas pessoas são presunçosas, exaltadas e arrogantes. Mas quando acertamos a vida com Deus, ficamos humildes de espírito. O Espírito de Cristo nos quebranta.

O novo nascimento nos dá uma nova atitude em relação aos nossos semelhantes. Lemos em Romanos 12: “Digo a cada um dentre vós que não pense em si mesmo, além do que convém, antes, pense com moderação segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um.”

Portanto, “amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.” Assim sendo, se devemos nos portar como cristãos, precisamos nos revestir da veste da humildade.

A próxima desta lista de vestes celestiais é a mansidão. Revista-se de mansidão. Se os outros são vaidosos e orgulhosos e se envolvem em conversas caluniosas e odiosas, e fofocas, você que leva o nome de Cristo não deve ter mostrar estas coisas.  A mansidão foi uma das qualidades mais notáveis de Jesus, e através do espírito da mansidão cristã nós O faremos conhecido para os outros. Comportamento cristão é o que devemos enfatizar.

Ainda nesta mesma lista está a veste da paciência. “Revista-se” de paciência. Não são muitos os que se dispõem a esperar e orar.

Parece-me que não há graça que precise ser mais cultivada entre os filhos de Deus do que a graça da paciência. Nós devemos ser pacientes na tribulação, na perseguição, nas aflições, pacientes com pessoas que são difíceis de se relacionar.

A paciência é uma qualidade da nova natureza. Mas precisa ser cultivada. A instrução santa dada aqui associada à paciência é que devemos “suportar-nos uns aos outros.” Infalivelmente veremos erros nos outros mas temos que suportá-los pacientemente.

Note, depois, a próxima veste da justiça: o espírito de perdão. “Perdoai-vos mutuamente,caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós.” Nada impedirá mais o seu testemunho por Cristo do que abrigar um espírito que não perdoa aqueles que o prejudicaram ou maltrataram.

“Assim como Cristo nos perdoa”, devemos perdoar, e devemos fazê-lo por amor a Cristo. Dá-nos uma sensação de paz celestial saber que Ele perdoou aqueles que Lhe fizeram mal. Com Cristo no seu coração, você pode sempre perdoar alguém por qualquer tipo de erro cometido contra você. 

Acima de Tudo Revista-se de Amor

 

Chegamos agora ao clímax do estudo sobre estas vestes de justiça. “Acima de tudo isto, porém, esteja o amor,” que é o vínculo da perfeição.

Uma outra tradução diz: “Acima de todos estes, revesti-vos de amor, que une tudo em perfeita harmonia.”

Esta é a resposta a todos os nossos problemas de relacionamento com nossos semelhantes, e especialmente com nossos irmãos em Cristo. Devemos nos revestir do amor de Cristo. Todos os nossos preconceitos desaparecerão; toda a nossa raiva, malícia, má vontade e ciúmes cessarão quando o amor de Deus possuir nossos corações. “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três: porém o maior destes é o amor.”

Amados, nós nunca teremos que nos preocupar com o nosso comportamento cristão se nos revestirmos com todas estas vestes de justiça e especialmente com o amor de Cristo que é verdadeiramente o cumprimento da lei de Deus. Com o adorno destas virtudes e graças cristãs convenceremos a todos aqueles que têm contato conosco no nosso dia a dia, da realidade da fé cristã.

Dessa forma o Cristo ressurreto e vivo se manifestará em nossos próprios corações, em nossos corpos e em nossas vidas. Façamos agora uma pergunta bem pessoal:  O que a ressurreição de Cristo significa na minha vida?

Extraído de Cinqüenta Sermões de Rádio de Dale Crowley. 

About these ads
  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 196 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: