Publicado em Estudos Bíblicos

O Jejum: Complementos …


triste-vida1.jpg

É interessante observarmos que a Bíblia não contém nenhum mandamento que obrigue a prática do jejum. Entretanto, ela nos mostra que o jejum é um ato de humilhação diante de Deus. É uma forma de colocar a carne submissa ao Espírito.

É um tipo de exercício espiritual, disciplina espiritual, quando decidimos que, durante um espaço de tempo, vamos deixar de dar atenção à nossa necessidade física para nos dedicarmos aos interesses espirituais.

Alguns exemplos bíblicos nos mostram que Deus valoriza o jejum, quando o mesmo é feito de coração como uma oferta ao Senhor e não com a intenção de fazer negócio com Deus.

Vamos jejuar e oferecer esse jejum como culto ao Senhor. Se ele quiser nos abençoar pelo que fizemos, graças a Deus. Não estamos fazendo comércio espiritual.

Na Bíblia encontram-se muitos relatos e ensinamentos sobre o jejum:

– O povo de Nínive jejuou, ao mesmo tempo em que se arrependeu dos seus pecados e clamou pela misericórdia divina. Resultado: Deus perdoou aquela cidade, livrando-a da destruição que sobre ela viria. (Jonas 3).

– O profeta Joel convoca o seu povo para um jejum, com pranto e choro. Depois disso, o Senhor se compadeceria de seus servos e sobre eles derramaria o Espírito Santo. (Joel 2 e 3).

– O jejum, para ser válido, precisa estar associado a uma disposição de conserto do que está errado. (Isaías 58).

– Durante um jejum de 40 dias, Moisés recebeu uma grande revelação de Deus: os 10 mandamentos. (Êxodo 20).

– Após um jejum de 40 dias, Jesus iniciou seu ministério terreno. (Mateus 4).

– Jesus disse que algumas classes de demônios só são expulsos com jejum e oração. (Mateus 17:21).

– Durante um período de jejum, Daniel recebeu a revelação sobre as setenta semanas do fim dos tempos. (Daniel 9).

– Após um jejum de 21 dias, Daniel recebeu a visita de um anjo (ou do próprio Jesus?), que lhe trouxe grandes revelações de Deus. (Daniel 10).

Precisamos, urgentemente, de uma ação mais intensa do Espírito Santo em nossas vidas e em nossas igrejas. Vamos jejuar e orar e humilhar diante do Senhor (II Cron.7:14).

Vamos clamar pela sua misericórdia e por um derramamento da unção do seu Espírito sobre nós.

Para quem não tem conhecimento sobre o jejum, vão aqui algumas dicas: o jejum absoluto é a abstinência de alimento e de todo tipo de bebida durante um período determinado.

Quando o jejum dura mais de um dia, admite-se o consumo de água.

Assim, tem-se um jejum parcial. Pode-se, por exemplo, realizar um jejum mais curto: da hora em que se levanta, pela manhã, até o horário do almoço, ou até às 6 horas da tarde. Agora, se a pessoa se levanta às 11 e meia e vai almoçar ao meio dia, não fez nenhum jejum. Também não vale fazer uma refeição de manhã e dizer que vai jejuar o resto do dia. Outra maneira de se estabelecer o período de jejum é de zero hora de um dia até zero hora do outro dia. De fato, não existe uma regra. Cada um deve adotar o modo que lhe parecer mais apropriado.

Em Mateus 6, Jesus fala a respeito do jejum, dizendo que os fariseus, quando jejuavam, queriam que todos soubessem disso, a fim de serem considerados bons religiosos.

Por isso, Jesus disse que o jejum deve ser discreto. Quem está jejuando não deve fazer propaganda disso com a intenção de exibir sua “espiritualidade”. Quem faz assim não está jejuando, está passando fome. Mas isso não significa que o jejum seja algo secreto. Não significa que seja pecado dizer a alguém que se está jejuando. Em algumas situações isso pode ser necessário. Por exemplo, nada impede que o esposo diga à esposa que ele está jejuando, caso isso seja necessário.

Nos exemplos que mencionamos, vimos casos de jejuns coletivos. Logo, não eram jejuns secretos. O problema existe quando o revelamos com intenção de tirar alguma vantagem em cima disso.

Durante o jejum, é aconselhável que se dedique algum tempo à oração e à leitura da bíblia. Ficam como sugestões os textos mencionados acima. Ao final do jejum, faça uma oração antes da refeição, oferecendo ao Senhor o jejum realizado.

Anúncios

Autor:

Pastor Titular da Igreja Caminhar em Cristo em Curitiba/PR - Brasil

6 comentários em “O Jejum: Complementos …

  1. A PAZ gostei mt desse estudo pois tinha duvidas sobre como jejuar pensava ser uma regra nunca me explicaram sobre jejum eu aprendi jejua de meia noite ao meio dia. uma vez senti vontade de jejuar até as 15:hs entao eu fiz mais hoje aprendi que o jejum é 24 hs ou seja um dia.

  2. somente gostaria de saber como poderia fazer para iniciar um jejum e se depois que fiz o jejum se tenho que testemunhar na igreja se caso eu não o testemunhar estou traindo a DEUS. obrigado, por abrirem mais minha mente e desde já agradeço por tudo e que Deus os abençoe.

    1. Olá Andréa,

      Comece fazendo seu jejum, de um dia apenas, inicie as 18h do primeiro dia e encerre no dia seguinte, às 18h, não esquecendo de beber água durante o jejum.
      Jejum é algo íntimo, não é para ficar testemunhando que fez jejum!

      Deus lhe abençoe

      Pastor Derville

  3. Achei bastante edificante esse estudo.
    Devemos mortificar a carne nesses ultimos dias.

    Lucas,

    Fiquei muito feliz pela sua opinião,

    Obrigado

    Que o Senhor lhe abençoe muito

    Pastor Derville

  4. Concordo plenamente em suas colocações…
    Mas se Deus é Pai, pq devo me humilhar tanto…
    Para conseguir algo do Papai…

    Noelia,
    A questão da humilhação é gerar em nós plena dependência do Senhor. O pecado natural, aquele que vem de geração em geração até nós. Aquele que iniciou em Adão, chega até nós, e se manifesta pelo orgulho, pela facilidade de nos ofender quando somos confrontados, porque carregamos uma suposta “independência” e nos expressamos em conseqüência com superioridade. Veja, Jesus, no orienta, para não julgarmos uns aos outros! Por que? Porque nos sentimos, naturalmente, superiores – alguns, se dizem mais sinceros, se dizem mais verdadeiros, sempre “mais” em algum ponto. Daí, a atitude de julgar o outro reflete essa superioridade condenada.
    O que devemos fazer?
    Nos humilharmos. Esta atitude é a de dominarmos esta superioridade e confessarmos através dos nossos atos que somos humanos e não deuses!
    Quando eu declaro que Jesus é o meu Senhor, devo então me comportar como servo de Deus! Devo praticar minha servidão, reconhecendo nos meus caminhos que Jesus é o meu Senhor, Ele manda, eu obedeço. Onde encontro suas ordenanças ou mandamentos? Na Bíblia, só na Bíblia.
    Por isso, preciso viver em comunhão com os irmãos, dentro de uma igreja fiel aos seus mandamentos, debaixo de um pastoreio. Só posso ser um crente fiel em Jesus, se houver a quem me fidelizar, ensinar, me encorarjar, me orientar, onde possa prestar contas e me corrigir. Preciso pertencer a uma família da fé.

    um grande abraço

    Pastor Derville

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s