Publicado em Sermões e Esboços

A benção tem que ser do seu jeito?


A benção tem que ser do seu jeito, senão, você não aceita?

 Texto: Marcos 6:1-6

Isaías 14:24 Jurou o SENHOR dos Exércitos, dizendo: Como pensei, assim sucederá, e, como determinei, assim se efetuará.

Judas 1:4  Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo.

Introdução: A benção tem que ser do seu jeito? Ou do jeito de Deus?

q      Vamos tentar descobrir a razão pela qual muitos da cidade de Nazaré ficaram privados da manifestação do poder que emanava de Jesus.

q      Imaginação humana – tentando estabelecer os critérios de como um homem ou mulher de Deus deve ser, se comportar, etc.

q      Justiça Própria:

Romanos 10:3  Porquanto, desconhecendo a justiça de Deus e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à que vem de Deus.

Filipenses 3:9 e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé; 

A Benção tem que necessariamente ser do seu jeito? Ou do jeito de Deus?

REBELDIA: agir contra Deus, tentar ser Deus ou mais que ele! 

Qual é a atitude dos que só reconhecem a benção do seu próprio jeito? 

1- Reconhece o Poder, mas questionando a Fonte.

q      Os habitantes de Nazaré, ao analisarem o ministério de Jesus, embora reconhecessem Sua sabedoria, bem como os milagres por Ele operados tinham dificuldades de identificar a fonte de todo esse poder. Não percebiam que tudo provinha de Deus.

q      Por ser Jesus uma pessoa tão conhecida na cidade, lugar onde viveu sua infância, sendo dali toda a sua parentela, ficava difícil para muitas pessoas dissociar o menino de Nazaré, do homem que fazia proezas. Como alguém conhecido desde pequeno, como uma pessoa comum e igual a todas as demais, poderia agora estar realizando milagres da parte de Deus? Alguns pensavam ser uma técnica especial aprendida; outros artes mágicas; menos, poder do Alto.

q      Os que viveram longe de Cristo no passado, mas voltaram para o seu lugar de origem depois da experiência do novo nascimento, estão sujeitos às mesmas dificuldades. Pode ser difícil para os amigos mais íntimos acreditarem numa mudança de vida, principalmente quando a imagem de quem a pessoa era, ainda esteja tão nítida na memória (Mt 10.34-36).

q      Mas a transformação genuína não ficará encoberta. Muitos hão de perceber que algo novo aconteceu e glorificarão a Deus por esse motivo. 

2 – Sentem-se ofendidos e enganados por Jesus

q      Quando a Bíblia diz que os de Nazaré “escandalizavam-se n’Ele”, quer dizer que muitas pessoas estavam se sentindo enganadas por um suposto falso profeta. Era como se Ele fosse uma pedra de tropeço no caminho, da qual todos deviam se afastar. Eles se sentiam ofendidos e traídos por alguém da própria terra e, definitivamente, não estavam dispostos a crer que o filho do carpinteiro pudesse ser o Messias prometido.

q      Para muitas pessoas a mensagem do Evangelho também lhes parece loucura. Eles se justificam alegando insensatez acreditar num livro escrito por homens, ou aceitar a história do Jardim do Éden (I Coríntios 1:18). No entanto, para nós, o Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê (Romanos 1:16). 

3 – Desenvolvem a incredulidade e a dúvida, privando-se das melhores Bênçãos

q      Tudo isso termina de forma muito triste. A cidade na qual Jesus gostaria de ver os maiores milagres, acabou deixando de ver a glória de Deus passando por ali. A única razão que a Bíblia registra para tamanha ausência de poder, não estava numa eventual falta de inspiração para curar ou realizar milagres, e sim, na incredulidade daqueles que não conseguiam ver em Jesus, o Filho do Deus Vivo. A lembrança do “carpinteiro” ainda era mais forte do que a visão de quem havia descido dos Céus. Por causa disso, ficaram privados de uma bênção maior (Hebreus 3:12-19).

q      Muitas pessoas, infelizmente, continuam se privando do melhor que Deus tem a oferecer quando deixam de conhecer a Jesus de uma forma íntima e pessoal.

q      Se cada pessoa abrisse o coração e deixasse a Palavra penetrar revelando Cristo dentro dele, todas as coisas passariam a ter um significado especial. Todos poderiam falar do Filho de Deus, não como alguém comentado em livros e biografias, mas de um Cristo pessoal, revelado no íntimo do coração. A Bíblia, a Igreja, e todas as demais coisas relacionadas ao Reino de Deus, não seriam mais vistas como coisas estranhas, e sim como recursos divinos para aproximar o homem do caminho celestial. 

Conclusão

q      As pessoas de Nazaré deixaram passar a oportunidade de ter suas vidas totalmente transformadas.

q      Não conseguiram perceber que Aquele homem era o Deus que se fez carne e habitou entre nós.

q      Deixaram de ver milagres, curas e, acima de tudo, perderam a oportunidade de receber o Evangelho que transforma corações. 

Aplicação

q      Neste período de reflexão, procure se lembrar de alguma situação em que você tenha se privado de uma bênção, por causa da aparência da pessoa que ministrava na ocasião.

q      Se isso aconteceu, peça perdão a Deus por haver julgado alguém por sua aparência, desprezando o poder do Alto manifestado no seu interior.

Anúncios

Autor:

Pastor Titular da Igreja Caminhar em Cristo em Curitiba/PR - Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s