Posts Marcados respostas de oração

Venha participar!


campanha2009

, ,

Deixe um comentário

… o Senhor não rejeitou as minhas orações …


oração da noite

Pai, como o Senhor me surpreende! Não há Deus como o Senhor. Hoje, tive várias dificuldades e a sua Graça se manifestou. Obtive sucesso e através da Sua Boa Mão, superei cada dificuldade. Recebi sua resposta, porque o Senhor não rejeitou as minhas orações. Muito Obrigado. Em Nome de Jesus eu oro, Amém.

1 comentário

A Oração gera mais fé!!!


ORAÇÃO DA FÉ POR SI MESMO

fonte: http://www.igrejamana.com/estudos/mensagens/oracao_fe.html
1 – O QUE É ORAR?

Orar é falar com Deus. Oração é uma conversa nos dois sentidos: nós falamos com Deus e Deus fala connosco.

Qual é a razão que nos leva a orar?

Devemos orar, para termos comunhão com Deus. O que é que você pensaria, se o seu filho só viesse a casa para lhe pedir dinheiro, comer, dormir e nem sequer se desse ao trabalho de passar tempo consigo?

Ora é isso mesmo que muito cristão faz com Deus. Ele é o nosso Pai, e alguns cristãos só vêm à Sua presença, para Lhe pedir coisas.

“Ó Deus cura o meu filho, o meu sobrinho, o meu colega.”

“Ó Deus dá-me mais dinheiro …”

“Ó Deus transforma o meu filho, faz dele um rapaz estudioso …”

E depois, nunca se dão ao trabalho de ter comunhão com Deus, quando Deus vai para lhes falar, já se foram embora.

Quando duas pessoas andam em “comunhão”, elas têm algo em “comum”: conhecem-se uma à outra.

Se você não tem comunhão com Deus, então, Deus também não tem comunhão consigo, e isto significa que não se co-nhecem um o outro.

Ter comunhão com Deus consiste em:

* passar tempo a ler e a meditar na Palavra de Deus (a Bíblia): a Bíblia é a revelação da Vontade de Deus;

* louvar a Deus, elogiá-Lo por aquilo que Ele é;

* passar tempo a ouvir de Deus, para receber orientação para a sua vida, etc.

2 – TIPOS DE ORAÇÃO

Há vários tipos de oração:

2.1- ORAÇÃO DA FÉ POR SI MESMO

Tipo de oração baseada em Marcos 11:24 :

“Por isso, vos digo que tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis, e tê-lo-eis”.

2.2 – ORAÇÃO DE ACÇÃO DE GRAÇAS, LOUVOR E ADORAÇÃO

Este tipo de oração é essencialmente baseada no Salmo 100:

“Entrai pelas portas d´Ele com louvor e em seus átrios com hinos; louvai-o e bendizei o seu nome porque o Senhor é bom, e eterna a sua misericórdia e a sua verdade se estende de geração em geração”.

Louvá-Lo por aquilo que Ele fez por nós.

Adorá-Lo por quem Ele é.

2.3 – ORAÇÃO DE CONSAGRAÇÃO E DEDICAÇÃO

É o tipo de oração que está baseado em Mateus 6:9-13

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás no céu, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amén”.

Através deste tipo de oração dizemos a Deus que nos separamos de tudo e nos entregamos a Ele, para que a Sua vontade se cumpra em nós.

2.4 – ORAÇÃO NO ESPÍRITO

Depois do baptismo no Espírito Santo com a evidência de falar em novas línguas, ficamos aptos a falar directamente com Deus, de espírito para Espírito.

I Coríntios 14:2-4 – “Porque, o que fala língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios. Mas, o que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação. O que fala em língua estranha edifica-se a si mesmo; mas o que profeti-za edifica a igreja.”

I Coríntios 14:14 – “Porque, se eu orar em língua estranha, o meu espírito ora, mas o meu entendimento fica sem fruto”.

2.5 – ORAÇÃO DE INTERCESSÃO

Tipo de oração em que se intercede por alguém ou por algum assunto, e é baseada em Romanos 8:26, 27:

“E, da mesma maneira, também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir, como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós, com gemidos inexprimíveis.

E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que, segundo Deus, intercede pelos santos.”

2.6 – ORAÇÃO DE CONCORDÂNCIA

Este tipo de oração baseia-se em Mateus 18:18:

“Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu.”

2.7 – ORAÇÃO DE ENTREGA DE PROBLEMAS

Este tipo de oração é baseada em I Pedro 5:7: – “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós”.

Consiste em depositarmos o problema aos pés de Jesus, e uma vez entregue, o problema já não me pertence, mas está totalmente entregue aos cuidados de Jesus.

É importante notar que, cada um destes tipos de oração se baseiam em certos versículos que funcionam como as regras dos jogos desportivos; para cada jogo tem que se saber e utilizar as respectivas regras para se obterem os melhores resultados.

Por exemplo: eu não posso jogar futebol utilizando as regras de ténis ou basquetebol, porque não vai funcionar. Para jogar futebol da melhor maneira tenho que saber e aplicar as regras futebol.

3 – ORAÇÃO DA FÉ POR SI MESMO

É quando pedimos algo a Deus, por nós próprios. Este tipo de oração está baseado em Marcos 11:24:

- ” Por isso vos digo, que tudo o que pedirdes, crede que o recebestes, e tê-lo-eis “.
OITO PASSOS PARA RECEBER A RESPOSTA À SUA ORAÇÃO

1) Decida e seja específico naquilo que quer de Deus.

2) Procure uma passagem bíblica que lhe prometa aquilo que quer pedir a Deus.

3) Antes de pedir, medite nessas promessas.

4) Faça a oração ao Pai, no Nome de Jesus.

5) Acredite que recebe a resposta, no momento em que orou.

6) Enquanto espera pela materialização do pedido, louve a Deus.

7) Recuse-se a duvidar.

8) Continue a meditar nas promessas bíblicas, que usou.

Este tipo de oração, funciona sempre para si, e claro, de acordo com a sua fé. Mas, tome nota: quando você usa este tipo de oração para outras pessoas, pode ou não funcionar, porque, também envolve a fé dessas pessoas.

Exemplo: é o caso de alguém orar por um amigo, familiar, etc. Você sabe se essa pessoa quer alguma coisa com Deus? Sabe se ela quer que você ore por ela? No caso de ela não querer, a sua oração não valeu de nada. Caso contrário, faríamos a oração da fé, pelo mundo inteiro, e todos ficariam salvos.

Você não pode fazer a oração da fé pelos outros, mas pode interceder, destruindo as fortalezas de satanás, nas mentes dessas pessoas, e para que Deus lhes ilumine os olhos do entendimento da verdade e sejam salvos.

1) SEJA ESPECÍFICO

Ex: “Senhor, dá-me um automóvel”.

Deus perguntar-lhe-ia: “Que marca, que modelo?”

Imagine que você vai ao talho e diz: “Senhor Silva, dê-me um kilo de carne”.

O senhor Silva, ia perguntar-lhe: “Que género de carne quer?”

Marcos 10:46-52

Jesus ia a entrar na cidade de Jericó, quando passou por um cego, que gritou:

- ” Tem misericórdia de mim e ajuda-me.” Ao que Jesus lhe perguntou:

- “O que queres de mim?” Foi então que o cego lhe falou específicamente:

- “Senhor, que eu tenha vista”. Então Jesus curou-o.

Repare que Jesus sabia muito bem o que o cego precisava, mas Jesus só respondeu quando ele foi específico, e não quando disse: “Tem misericórdia de mim”.

Seja sempre específico naquilo que pedir a Deus.

2) PROCURE UMA PROMESSA

Deus só é responsável em cumprir as Suas promessas, e que estão descritas na Bíblia.

Jeremias 1:12 – “…eu velo sobre a minha Palavra, para a cumprir”.

Deus só lhe responderá, se aquilo que você pedir, estiver de acordo com a Vontade d’Ele. Toda a Vontade de Deus, está descrita na Bíblia. Então, é lá que você tem de procurar a Sua promessa.

I João 5:14-15 – “E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa, segundo a Sua vontade, Ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos”.

3) ANTES DE ORAR MEDITE NAS PROMESSAS

Romanos 10:17 – “De sorte que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus”.

Como Deus só responde a uma oração de fé, e como fé só vem pelo ouvir a Palavra de Deus, então antes de fazer o pedido a Deus, você precisa meditar muitas vezes nos versículos bíblicos que prometem o que você quer de Deus. Só assim terá fé para esse assunto e então Deus lhe responderá.

João 15:7 – “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras es tiverem em vós, pedireis tudo o que quizerdes, e vos será feito”.

Como se vê, não basta receber Jesus como Salvador. É necessário ter o coração cheio da Palavra de Deus. Só então, Deus responderá ao seu pedido.

4) FAÇA O PEDIDO AO PAI EM NOME DE JESUS

O modo oficial de se pedir alguma coisa a Deus, é fazer o pedido ao Pai, em Nome de Jesus.

João 16:23 – “E naquele dia, nada me perguntareis. Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, Ele vo-lo há-de dar.”

Na língua original, no grego lê-se: “E naquele dia, nada me pedireis …”

Jesus ainda não tinha sido glorificado, “naquele dia…”. Ele refere-se aos dias de hoje, em que Ele está sentado à direita de Deus o Pai, e já abriu o Caminho de acesso a Deus, já nos reconciliou com Deus.

Pedir no nome de Jesus, é o mesmo que você estar a levantar no banco do céu, um cheque assinado por Jesus (com o nome de Jesus); assim, ser-lhe–á concedido o seu pedido.

Jesus é o único que tem crédito no céu: não são os santos, anjos, e nem os já falecidos.

5) ACREDITE QUE RECEBE A RESPOSTA NO MOMENTO EM QUE OROU

Marcos 11:24 – “Por isso vos digo, que tudo o que pedirdes orando, crêde que o recebestes, e tê-lo-eis”.

A Fé não é sómente acreditar no que Deus promete, a Fé acredita e recebe também.

A Fé é como quem:

1- semeia uma semente no solo

2- rega e espera que cresça

3- então ceifa

1 – O acto “de acreditar que recebe a resposta à oração no instante que orou”, é equivalente a semear a semente no solo.

2 – O tempo de espera é equivalente ao crescimento da semente, quanto mais regar (louvar a Deus pela resposta), mais rápido será o seu crescimento.

3 – O acto de ver a resposta, é equivalente à ceifa.

Vou dar um exemplo duma Oração de Fé. Suponhamos que alguém está doente, e vem a Deus, com Fé, para receber Cura Divina:

- “Ó Deus, eu venho a Ti no Nome de Jesus. Eu estou doente e tenho este problema … mas a Tua Palavra diz que Jesus já pagou pelas nossas enfermidades.

Senhor, eu creio que RECEBO AGO-RA a minha Cura Divina, no Nome de Jesus, Amén!”

A manifestação física da sua Cura pode demorar um minuto, uma hora, um dia, uma semana ou o tempo que fôr. Todo o Reino de Deus é como o agricultor que semeia uma semente e espera que ela cresça.

Assim é com a Cura Divina, ou seja o que fôr que tiver pedido a Deus. Vai ter que esperar até “ver” a resposta “chegar” a si.

O que fazer durante o tempo de espera? Deve louvar a Deus todos os dias, pela resposta. Por exemplo:

- “Obrigado Pai, porque já recebi a minha Cura, por isso estou curado. Ó Deus, eu posso “não me ver” curado, posso “não me sentir” curado, mas eu não ando pelas vistas, mas ando pela Fé. Por isso Te louvo porque pelas pisaduras de Jesus JÁ ESTOU CURADO. Amén!”

6) ENQUANTO ESPERA PELA MATERIALIZAÇÃO DO PEDIDO, LOUVE A DEUS

Não peça duas vezes a mesma coisa a Deus, porque isso não é fé (pedindo segunda vez). Você estaria a dizer a Deus, que afinal não acreditou que recebeu da primeira vez. Se fizer isto mais que uma vez, então quando é que Deus vai saber que você acreditou?

Romanos 4:17 – “… E chama as coisas que não são, como se já fossem”.

Quando você louva a Deus pela res-posta, está a falar de coisas que não são, como se já fossem. Isto é fé, e é a fé que vai materializar o seu pedido.

7) RECUSE-SE A DUVIDAR

É precisamente, no tempo de espera, que o diabo mais gosta de atacar, lançando pensamentos de dúvida à sua mente:

- “Será que estou curada?”

- “Mas eu não vejo nada?!”

- “Mas eu não sinto nada?!”

Tiago 1:6, 7 – “Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa”.

O que fazer? ( Tiago 4:7 ) “Sujeitai-vos a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”.

Resista ao diabo falando a Palavra de Deus (versículos bíblicos):

- “Diabo, está escrito: “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós”. As dúvidas não vêm de Deus e eu recuso-me a duvidar: Satanás, no nome de Jesus, vai-te embora porque eu já acreditei que recebi aquilo que pedi a Deus, por isso eu sei que isso vem a caminho”.

8) CONTINUE A MEDITAR NAS PROMESSAS

Josué 1:8 – ” Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo o que nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e então prudentemente te conduzirás “.

À medida que meditar e falar esses versículos bíblicos, está a lembrar a Deus as suas promessas, O qual não falhará em cumpri-las.

Veja-se a si mesmo com aquilo que pediu a Deus.

Faça planos de acordo com isso.

Não esmoreça, nem perca o ânimo.

Lembre-se que a vontade de Deus, é que tudo aquilo que você pedir, receba, para que a sua alegria seja completa.

João 16:24 – “… pedi, e recebereis para que o vosso gozo seja completo”

, ,

3 Comentários

Como Tornar Eficaz sua Chamada de Oração


Wesley L. Duewel

Quando Deus confia em suas mãos uma carga especial de oração, você deve aceitá-la com alegria e ser fiel nesta responsabilidade. É uma comissão especial do Senhor.

1. Dê a esta carga de oração prioridade acima de tudo o mais na sua vida. Se for possível, coloque de lado o que estiver fazendo, e entregue-se totalmente à oração em favor desta necessidade. Geralmente o tempo é um fator essencial; não demore para atender à chamada. Se não puder se dedicar imediatamente a isto, continue a orar em todo momento livre, até conseguir abandonar os outros afazeres, e se entregar à oração.

2. Prepare-se para ficar durante horas em oração. Isto nem sempre é necessário, mas seja tão diligente em oração que continuará intercedendo o quanto for necessário para receber a certeza da resposta de Deus.

Na década de 1930, um querido amigo meu que era barbeiro em Oklahoma, E.U.A., tinha muito zelo em testemunhar para o Senhor. Certa tarde, sentiu fortemente impressionado a orar pela salvação do xerife em exercício da cidade. Em seguida, fechou sua barbearia no meio da tarde, fechou as venezianas para que ninguém pudesse ver lá dentro, e foi para uma sala reservada para orar.

Durante o restante da tarde, passando pela hora de jantar, e entrando pela noite, George Sherrick orou. Quando eram umas duas horas da manhã, alguém bateu forte na porta. Ninguém sabia que George estava lá dentro naquela hora da noite. Quando foi para a porta, lá estava o xerife por quem estivera orando, sentindo forte convicção dos pecados pelo Espírito Santo. Naquela noite George Sherrick pôde conduzir aquele homem ao Senhor.

3. Ore até que Deus afaste o sentimento de urgência, ou até que receba certeza de que Deus lhe ouviu. Por volta do ano de 1949, um grupo de missionários aposentados da China, com mais alguns amigos fiéis na oração, se reuniram para orar como de costume em Adelaide, na Austrália. Uma grande carga e urgência de oração caiu sobre todos, especificamente em favor de Hayden Melsap, que estava trabalhando para o Senhor na China. Decidiram abandonar todas as introduções preliminares da reunião e ir direto para a oração.

Continuaram orando até que todos sentiram paz e alívio. Alguns anos depois, quando Hayden Melsap estava de volta por um tempo na Austrália, os missionários lhe perguntaram se recordava de algum acontecimento incomum naquela época quando oraram por ele. Para sua admiração, descobriram que naquele dia e naquela hora, Hayden e mais dois missionários foram colocados contra a parede num pátio na China, onde foram ameaçados por comunistas apontando armas em sua direção.

Exatamente quando um oficial estava para dar a ordem de atirar, o portão do pátio foi aberto e um oficial superior entrou. Chocado com o que viu, gritou: “Pare!”. Em seguida, chegou e colocou seu braço no ombro de Melsap e o conduziu junto com os outros à liberdade. Eu ouvi pessoalmente este testemunho do próprio Hayden Melsap, e tenho o relato por escrito também.

4. Deus pode orientá-lo a convocar outros para orar junto com você. Muitos milagres já foram realizados pelo Espírito Santo em resposta a uma corrente de oração, ou às orações de um grupo especialmente convocado. Muitas igrejas locais têm organizado correntes S.O.S. de oração.

Quando chega um pedido emergencial de oração, cinco ou seis pessoas são contatadas imediatamente. Cada um, por sua vez, chama a próxima pessoa na sua lista. Em questão de minutos, muitas pessoas estão em oração.

Durante a revolta Mau Mau no Quênia em 1960, os missionários Matt e Lora Higgens estavam voltando a Nairóbi uma noite, passando no meio do território do povo Mau Mau, onde muitas pessoas, tanto quenianos como missionários, já haviam sido assassinadas e desmembradas.

A uns 28 quilômetros de Nairóbi, o carro em que estavam parou. Higgens tentou consertar o carro no escuro, mas não conseguiu dar partida. Passaram a noite no carro, repetindo e crendo no Salmo 4.8: “Em paz me deito e logo pego no sono, porque, Senhor, só tu me fazes repousar seguro”. Quando amanheceu, puderam consertar o carro.

Algumas semanas depois, os Higgens voltaram para os Estados Unidos de férias. Contaram como um membro dos Mau Mau confessou que ele e mais três haviam se aproximado do carro para matar os missionários. Porém, ao ver dezesseis homens cercando o carro, fugiram atemorizados. Matt não entendeu quem eram estes homens.

Durante este período de férias, um amigo perguntou aos Higgens se haviam passado recentemente por algum perigo. E depois relatou como no dia 23 de março, Deus lhe dera uma grande urgência de orar. Ele chamou os homens da igreja, e dezesseis atenderam seu convite. Oraram até sentir certeza da vitória. Foi então que Higgens entendeu de onde apareceram os dezesseis homens que atemorizaram os assassinos Mau Mau naquela noite.

No céu, descobriremos muitos relatos incríveis de como Deus usou chamadas especiais de oração para avançar sua causa e proteger seu povo.

Este artigo foi extraído do livro Touch the World Through Prayer (Toque o Mundo Através da Oração), por Wesley Duewel.

, ,

Deixe um comentário

Como Reconhecer uma Chamada de Oração


Wesley L. Duewel

Deus poderá impressionar fortemente sua mente com alguém. Isto pode acontecer no seu período de oração ou em algum outro momento durante o dia. Se já se ofereceu a Deus e se disponibilizou, e uma determinada pessoa surge repetidamente na sua mente, é provável que seja um alerta para orar por ela. Isto pode acontecer apenas ocasionalmente, mas quanto mais perto andar com Deus e se afinar com a voz dele, mais freqüentemente Deus o usará desta maneira.

Você pode ter um pressentimento especial ou sentir apreensão de perigo ou necessidade. Vá imediatamente ao Senhor. Se for possível, pare um pouco com o que está fazendo. Enquanto orar, Deus poderá trazer à sua memória uma pessoa ou situação. Se isto não acontecer, simplesmente ore pela ajuda e misericórdia de Deus, seja qual for a necessidade.

No dia 12 de dezembro de 1939, enquanto orava pelo resultado da Segunda Guerra Mundial, senti incomodado particularmente por uma determinada situação. O Graf Spee, um navio mercantil alemão que fora convertido num navio de combate disfarçado, estava afundando muitos navios mercantis com grandes prejuízos em vidas humanas.

Naquela noite senti uma especial autoridade de Deus para pedir a sua intervenção. No dia seguinte, o noticiário do rádio anunciou que o Graf Spee estava cercado no porto de Montevidéu, no Uruguai. Depois de alguns dias, o navio foi afastado do porto e afundado. Não houve mortes, a não ser do capitão, que preferiu descer com o navio.

Provavelmente Deus tenha colocado esta mesma carga de oração sobre outras pessoas ao mesmo tempo que impressionou o meu coração. Mas tive a alegria de saber que Deus havia me dado um alerta de oração, e que depois a respondeu especificamente.

Deus pode lhe dar um senso de urgência para uma necessidade já bem conhecida. Pode ser que já tenha orado muitas vezes para uma determinada necessidade, mas agora está impressionado que Deus precisa responder sem mais nenhuma demora.

Pode ser em favor de uma cura física, a salvação de alguém, a restauração de unidade entre pessoas divididas, ou a chegada de avivamento para algum lugar. Deus pode lhe dar um sentimento geral da necessidade de orar por vários dias, e depois em algum momento orientá-lo a separar um tempo especial para oração mais urgente e prolongada.

Deus pode progressivamente aprofundar uma determinada carga de oração até transformá-la na sua tarefa permanente. Deus precisa de vigias/intercessores permanentes para igrejas, missões, cidades, nações, e ministérios. “Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; vós os que fareis lembrado o Senhor, não descanseis, nem deis a ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra” (Is 62.6,7).

Deus está afirmando que tem designado vigias de oração. Sem dúvida, o próprio Isaías era um destes, pois ele diz no versículo 1 do mesmo capítulo: “Por amor de Sião me não calarei e por amor de Jerusalém não me aquietarei; até que saia a sua justiça como um resplendor, a sua salvação como uma tocha acesa”. Você também pode ser um dos vigias de oração.

Todo obreiro cristão de tempo integral precisa de uma equipe de oração para estar ao seu lado, cobrindo-o e fortalecendo-o com intercessão. Todo ministério cristão precisa de uma equipe que carregue o peso junto, como guerreiros de oração.

A eficácia de qualquer ministério dependerá da dedicação da equipe e do poder de oração que se mobilizar na sua retaguarda. Deus abençoará qualquer pessoa ou ministério à medida que se levantar em seu favor apoio sólido e deliberado de oração, e que os parceiros de oração forem meticulosamente informados e orientados para orar com união e objetividade.

Feliz é a pessoa ou ministério que pode contar, não só com alguns voluntários para orar quando puderem, mas com vigias/intercessores que carregam uma preocupação constante no coração, como missão permanente.

Este foi o segredo do ministério de Charles Finney, que resultou em centenas de milhares de conversões ao Senhor, e cujas reuniões em 1858-1859 foram consideradas diretamente responsáveis por um dos maiores avivamentos da história. O próprio Finney era um poderoso homem de oração, e além dele havia outros que oravam em favor do seu ministério. Nas suas famosas palestras sobre avivamento, de um total de 22, quatro tratavam do papel da oração.

Quando Finney viajava de um lugar para outro, ele era acompanhado por dois homens idosos conhecidos como Tio Clary e Tio Nash.

Quando ele foi para Inglaterra para ficar por várias semanas de reuniões especiais, estes dois homens de modestos recursos também viajaram para lá, alugaram um porão escuro e úmido por vinte e cinco centavos por semana, e permaneceram lá de joelhos, batalhando em oração. Suas lágrimas e gemidos em oração prevaleceram. Foram os vigias/intercessores de Finney.

Quando Evan Roberts foi tão poderosamente usado por Deus no grande avivamento do País de Gales em 1904-1905, havia um pequeno grupo de jovens que assumiram o papel de vigias/intercessores. Uma das minhas possessões mais prezadas é um postal de Evan a um dos jovens nesta equipe.

Este artigo foi extraído do livro Touch the World Through Prayer (Toque o Mundo Através da Oração), por Wesley Duewel.

, ,

Deixe um comentário

Ministério de Oração


Características do Ministério de Oração

Intensidade

O avivamento mais conhecido neste período do ministério de Finney foi em Rochester, Nova York. Mais de 100.000 pessoas se converteram durante aquelas reuniões em 1830. Nash e Clarey foram juntos, e convocaram outros para batalharem juntos em oração.

Os dois eram muito semelhantes em sua forma de oração. Tinham tanto fervor, e tanta agonia de alma, que resultava em cenas muito raras nos dias atuais. Nossas orações calmas alcançam poucos resultados, mas também nos custam tão pouco…

Finney escreveu a respeito deles: `Nunca vi alguém suar sangue, mas conheci uma pessoa que orava, às vezes até sangrar pelo nariz. E conheci pessoas que oravam até molharem a camisa de suor, nas temperaturas mais frias do inverno. Tenho visto pessoas orando por horas, até à exaustão, por causa da agonia das suas mentes. Tais orações prevalecem com Deus. Esta agonia na oração acontecia também nos avivamentos de Jonathan Edwards.´

Existem vários relatos da oração exercitada por estes dois homens durante o avivamento de Rochester. Alguns citam Nash, outros Clarey, outros os dois. Pelo que se pode apurar, ficaram juntos em oração e jejum grande parte do tempo, chorando e clamando a Deus. Às vezes ficavam prostrados, sem forças para ficar em pé.

Sua preocupação com os pecadores trazia grande pressão às suas mentes e corações. Gemiam sob a carga, arriscavam a saúde, abriam mão de confortos, tudo para que a batalha nas regiões celestiais pudesse ser ganha. Por vezes, contorciam-se e gemiam em agonia por causa das almas perdidas.

Deus honrou a posição deles, e enviou avivamento. Oravam em particular, e Deus respondia publicamente. Praticamente todo o mundo na cidade se converteu. O único teatro da cidade foi transformado em estábulo, o circo em fábrica, e os bares e tavernas eram fechados.

Hoje nos recusamos a lutar com Deus desta forma, e conseqüentemente não devemos nos surpreender diante da falta do poderoso mover do seu Espírito.

Não é impressionante que não temos problema com pessoas que se desgastam nos esportes por prazer, que trabalham por dinheiro, que se entregam à política para conseguir poder, ou que se dedicam a programas de caridade, mas achamos que é fanático orar desta forma em favor das almas perdidas? Podemos até morrer pela liberdade da nossa pátria, mas nunca em favor do progresso do Reino de Deus. É algum motivo de espanto testemunharmos tão pouco dos grandes feitos de Deus em nossos dias?

Nash orava até ficar de cama, totalmente debilitado e doente, por causa da pressão espiritual que sentia. O mundo não teria problema com tal dedicação, se não fosse em favor das almas perdidas. Por que a Igreja também a considera como algo tão estranho?

Novamente a respeito das orações de Nash, Finney escreveu: `Muitas vezes ele entrava em agonia, antes do pregador subir no púlpito, com receio de que sua mente estivesse anuviada, ou seu coração frio, ou que ele não tivesse unção – e assim viéssemos a perder a bênção do Senhor. Ele orava até receber convicção interior de que Deus estaria comigo na pregação.

Às vezes orava até ficar doente. Vi ocasiões em que ele ficava embaixo de trevas por um tempo, enquanto o povo estava chegando. Sua mente ficava cheia de ansiedade, e saía então para orar, uma vez, duas vezes, ou mais, até que finalmente voltava para a congregação com o rosto em paz, e dizia: ‘O Senhor veio, e estará conosco’. Nunca vi um caso em que ele estivesse errado.´

Poucas Palavras

Certa vez perguntaram a Finney que tipo de pessoa era este Nash. `Nunca o vemos´, diziam. `Ele não participa das reuniões.´

Ao que Finney respondeu: `Como qualquer pessoa que ora muito, o irmão Nash é uma pessoa muito quieta. Mostre-me alguém que fala muito, e lhe mostrarei um cristão que ora muito pouco.´

A maior parte da oração, para quem deseja ser usado assim, precisa ser em particular. É preciso buscar, não os olhos ou os ouvidos humanos, mas o ouvido de Deus. É preciso buscar um canto sozinho com Deus.

Mas, embora orasse em particular, muitas vezes Nash orava com tanto fervor que outros o ouviam. Não era intencional, mas acontecia por causa da grande carga que sentia na sua alma. Os inimigos diziam que era impossível ele orar em secreto, pois orava com tal veemência que se podia ouvi-lo a mais de um quilômetro de distância.

Embora isto provavelmente não fosse tão comum, um testemunho interessante mostra que realmente podia acontecer. Em uma das campanhas, Nash levantou muito cedo e foi para uma mata orar. Era uma manhã clara, de ar límpido, daquelas em que se pode ouvir sons a uma grande distância. A um quilômetro de distância um homem não convertido parou de repente ao ouvir o som da oração.

Percebendo que era a voz de Nash, o Espírito Santo operou na sua vida, e ele sentiu convicção como nunca antes experimentara, e não achou alívio enquanto não acertou sua vida com Deus.

Objetividade

Muitas pessoas usam listas sistemáticas de pessoas e motivos de oração. Ser metódico e perseverante ajuda a ser mais eficaz, e também a registrar as respostas para poder oferecer louvor e agradecimento a Deus.

Nash usava este método. Ele tinha uma lista de pessoas por quem orava diariamente. As respostas a estas orações se tornam mais notáveis ainda quando se descobre que ele não colocava nomes de pessoas que já seriam prováveis candidatos à conversão, mas geralmente pessoas que eram mais obstinadas e resistentes.

Uma das questões mais importantes sobre se elaborar uma lista de oração é conhecer a vontade de Deus sobre quem deve ser colocado na lista. Ir por aparências é andar por vista e não pela fé. Para se ter uma base firme para crer em Deus pela salvação de alguém requer direção sobre quem ele quer na lista.

Finney escreve: `A verdade clara do assunto é que o Espírito leva a pessoa a orar. Se Deus leva alguém a orar, a conclusão pela Bíblia é que Deus tem um propósito de salvar aquele indivíduo. Se descobrirmos, por comparar nosso estado de mente com a Bíblia, que fomos guiados pelo Espírito a orar por alguém, temos boa evidência para crer que Deus está preparado para abençoá-lo.´

Finney contou um exemplo de como Deus operou em resposta à oração de Nash. Havia um homem chamado Sr. D. numa das cidades onde Finney estava pregando. Este homem era muito violento, e um perseguidor declarado do evangelho.

Ele tinha uma taverna naquela cidade, e seu prazer era de praguejar e usar linguagem suja sempre que houvesse cristãos por perto. Ele fazia todo o possível para ferir e embaraçar os cristãos. A casa dele era um ponto de encontro para as pessoas que se opunham ao evangelho.

O irmão Nash ouviu as pessoas da cidade falando a respeito do Sr. D. como um caso muito difícil, e de como um novo convertido que morava perto dele queria vender sua casa, tamanha era a perseguição que sofria. Nash ficou profundamente entristecido e angustiado em favor do Sr. D., e colocou seu nome na sua lista de oração.

Este caso passou a pesar na mente de Nash quando estava acordado, e quando estava dormindo. Pensava continuamente sobre este homem ímpio, e orou vários dias em favor dele. Desta forma, o próprio Espírito guia os cristãos a orar por pessoas ou questões que normalmente não chamariam sua atenção, e assim oram de acordo com a vontade de Deus.

`Poucos dias depois´, contou Finney, `estávamos numa reunião à noite, com a casa lotada, e quem entra pela porta, senão o famoso Sr. D.? A presença dele causou considerável agitação na congregação, pois as pessoas temiam que fosse criar confusão ali. O temor e o aborrecimento em relação a ele eram muito grandes por parte de todos. Tanto foi, que depois que ele entrou, alguns já se levantaram e saíram.

`Fiquei observando-o atentamente, e logo percebi que ele não viera para criar tumulto, pois estava em grande angústia de mente. Sentou-se, mas se contorcia no seu lugar, e não conseguia ficar em paz.

`Em pouco tempo, levantou-se e, tremendo, perguntou se podia falar algumas palavras. Dei-lhe permissão, e em seguida, aquele homem fez uma das confissões mais sinceras que já ouvi. Sua confissão incluiu tudo, de como tratava Deus, os outros cristãos, o avivamento, e tudo que tinha boa fama.

`Isto ajudou a ‘lavrar muita terra dura’ nos corações daquele lugar. Era o meio mais forte que Deus poderia ter usado, naquela ocasião, para dar ímpeto à sua obra. O Sr. D. confessou abertamente sua fé no Senhor, abandonou bebida e profanidade, e enquanto permaneci naquele lugar sempre havia reuniões de oração no seu bar.´

Concentração no Foco

Oração forte precisa ser oração eficaz. Precisa haver um resultado definido. O efeito deve ser definido e claro para aquele que está orando. Este efeito encherá a mente do intercessor, e será um foco claro de pensamento, preocupação e oração. Orar de forma dispersa em várias direções tem pouco valor. Uma lista é um ponto de partida neste sentido, no entanto, os itens na lista precisam ser focalizados um por um, se quisermos ver resultados.

Tal oração requer um esforço definido para direcionar no alvo certo com verdadeiro envolvimento da alma. Partir de um genuíno peso de oração e alcançar fé sólida geralmente envolve passar pelo caminho de agonia da alma. Temos uma tendência muito grande de desistir por fatalismo, falta de verdadeiro interesse, ou transferência de responsabilidade para os perdidos. Pode ser necessário lutar em oração para alcançar a bênção desejada.

Isto está num plano muito superior ao plano físico. Estas lutas na alma e no espírito podem produzir muito mais que exaustão no físico. Porém, a agonia do corpo é apenas o resultado de tal oração, não uma parte integral. Alguns querem imitar esta luta da alma através de manifestações físicas. Isto pode enganar o homem, mas tal hipocrisia não trará resultado algum das cortes celestiais.

Últimos Dias do Guerreiro

Nash acreditava que tinha uma responsabilidade pelo destino das almas. Sentia que Deus entregou grandes ferramentas em nossas mãos, e o uso ou desuso destas ferramentas era assunto sério, pelo qual teríamos de prestar contas a Deus. Seu ministério de oração tinha esta premissa básica. As últimas palavras que temos registradas de Nash estão numa carta, onde ele diz: `Depois que você esteve aqui, tenho pensado na oração, especialmente em orar pela descida do Espírito Santo. Parece-me que tenho sempre limitado a Deus neste sentido.

Nunca senti antes que eu pudesse pedir racionalmente para que o Espírito descesse de forma mais completa; não só sobre indivíduos, mas sobre todo um povo, região, país e no mundo. No sábado, me propus a fazer exatamente isto, e o diabo ficou muito bravo comigo. Estou convencido agora que é meu dever e privilégio, junto com todos os cristãos, orar para que o Espírito venha, como no dia de Pentecoste, e em maior poder ainda.

Não sei por que não podemos pedir que o Espírito venha em plenitude, na sua totalidade, e por que se pedirmos em fé, não podemos ver a resposta. Acho que nunca pedi tão livremente que o Espírito viesse sobre toda a humanidade. Meu corpo está em dor, mas estou feliz com Deus. Tenho sentido vontade de orar para que eu pudesse ser tomado pelo Espírito Santo, morrer no processo, e ir para o céu desta forma; mas Deus sabe.´

De acordo com Charles Finney, os últimos dias de Nash foram passados em oração. Ele dizia que estava morrendo por falta de forças para orar. O corpo estava esmagado, ele sentia o peso do mundo, mas como podia deixar de orar! Ele tomava o mapa do mundo, e orava, olhando para os diferentes países. Expirou no próprio quarto, orando, no dia 20 de dezembro, de 1831, com 56 anos. Verdadeiramente, era um príncipe que prevaleceu com Deus em oração!

Será que Deus encontrará pessoas na nossa geração para se entregar a ele desta forma?

Este artigo foi extraído do livro Daniel Nash: Prevailing Prince of Prayer (Príncipe Que Prevalece em Oração), por J. Paul Reno.

, ,

1 comentário

O Poder da Oração em Nossas Vidas


orando.jpgO povo de Deus precisa compreender o poder e a importância da oração, de modo a usá-la como arma eficaz.

A palavra de Deus nos mostra, em diferentes passagens, o poder da oração. Além da sua importância como instrumento de contato entre nós e Deus, a oração é também uma arma do cristão na guerra espiritual.

Em II Crônicas vemos um exemplo de resposta de oração. Salomão havia, no capítulo 6, pedido ao Senhor que viesse ao templo que ele construíra, trazendo sua glória.

A resposta a essa oração está no capítulo 7. O verso um diz: “Tendo Salomão acabado de orar… a glória do Senhor encheu a casa”. O resultado disso foi que todos adoraram a Deus, como vemos no verso três.

A manifestação da glória de Deus gera adoração e louvor. Salomão sabia que não havia espaço físico que pudesse conter a glória de Deus. Hoje essa glória se manifesta em nossas vidas, devemos gerar adoração e louvor.

Deus deseja que a nossa vida seja um lugar de adoração, um lugar onde Sua glória se manifeste. A glória do Senhor se manifesta apenas onde há oração. Sua vida tem sido uma vida de oração?

A oração é uma arma espiritual. Mesmo quando pecamos, quando estamos debaixo de maldição, por pior que a situação possa parecer, sempre podemos orar. As situações podem ser revertidas por meio da oração.

Tiago nos diz que a oração do justo pode muito em seus efeitos.

Nossa oração move o coração de Deus. O Senhor fala que se orarmos e nos convertermos de nossos maus caminhos ele ouvirá as nossas preces.

Um grande homem de oração na Bíblia foi Daniel. Ele orava três vezes ao dia, e por causa de sua oração chegou a ser jogado na cova dos leões. Em Daniel 9:3 encontramos uma fórmula de como orar corretamente.

Daniel fala que orou ao Senhor e jejuou, e o mais importante, pediu perdão e se arrependeu. A primeira coisa que ele faz ao buscar a Deus é confessar os pecados seus e do povo. Devemos fazer o mesmo ao entrarmos diante do Pai.

Pecados não confessados podem ser uma barreira a bloquear nossas orações diante de Deus. Filipenses 4:6 diz que não devemos andar ansiosos, mas nossas necessidades devem ser colocadas diante de Deus em oração.

O Diabo é acusador. Muitas vezes Deus não pode liberar as bênçãos pois Satanás está diante dele nos acusando. Nós falhamos, mas temos o sangue de Cristo que nos purifica de todo o pecado.

Entre na presença do Senhor tomando posse da sua misericórdia que se renova a cada dia. Entre na presença do Senhor com a consciência de que você leva o nome Dele. Somos cristãos, imitadores de Cristo.

Daniel era um homem que sabia tocar o coração de Deus. No versículo 19 ele pede ao Pai que ouça e perdoe. Precisamos pedir e liberar perdão. E nos versos 20 e 21 ele fala sobre o que ocorre quando oramos a Deus.

Um anjo foi enviado pelo Senhor para tocar Daniel antes mesmo que ele terminasse de orar. Deus quer atender a sua oração. Em Mateus 7:7 ele diz: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis, batei, e abrir-se-vos-á”.

Deus quer nos dar muita coisa. Uma criança quando quer algo insiste, continua pedindo. Devemos ser como uma criança. Será que temos insistido em oração diante de Deus? Você tem incomodado o Senhor pedindo para ser uma bênção?

Quando um filho não tem barreiras com o pai ele pede, sabendo que, na medida do possível, o pai vai lhe atender. Deus quer que você seja uma bênção, e a forma de conseguir isso é pedindo, orando.

Quando a igreja ora junto as portas do inferno não prevalecem. Em Atos 12 encontramos um exemplo da força da oração da igreja. No versículo 5 lemos que a igreja orava por Pedro que estava preso por Herodes.

O resultado? Deus enviou um anjo que libertou a Pedro de forma milagrosa. Deus prometeu que ouviria nossa oração. Nós somos o templo do Senhor, Ele vai ouvir a nossa oração. Ele enviará seu anjo para nos guardar e ajudar.

Use essa arma poderosa que Deus colocou em nossas mãos. Faça da sua vida uma vida de oração e adoração a Deus.

, ,

13 Comentários

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 202 outros seguidores