Posts Marcados esboco de mensagens

A mesa além da mesa


A Igreja é a família de Deus na Terra. Quando Jesus disse que as portas do inferno não iriam superar a igreja era porque estava imaginando uma família que se une ao Pai e unidos uns aos outros temos os princípios e a força necessários para enfrentar o inimigo das nossas almas.

Na época em que eu fazia o seminário tive o privilégio de participar de um retiro espiritual muito interessante num final de semana, era um feriado prolongado. Pessoas de várias igrejas e outras que não pertenciam a nenhuma igreja. Todas as noites reuníamo-nos em volta da fogueira onde celebrávamos a Ceia do Senhor. Assim foram todas as quatro noites. Noites inesquecíveis. Sentíamo-nos como uma família. Família de Deus.

I. As implicações de estar unido com a Família de Deus

Surpreendentemente nesse cenário, cercado por pessoas que eu não conhecia, me senti um com eles. Eu senti uma ligação e união como eu nunca tinha visto antes em um culto de adoração. Eu senti a presença de Deus. Eu adorava.

A implicação vertical.

Sentado em volta da mesa lembrei-me de sua implicação vertical. Eu reconheci que Jesus morreu por mim na cruz, derramando seu sangue para o perdão dos meus pecados. O pão, símbolo da carne, e o suco, símbolo do sangue, me fez lembrar o preço que Jesus pagou para que pudesse me reconciliar com Deus. Naquele momento, para mim, não houve nenhum sacrifício para fazer este reconhecimento ao comer um pedaço de pão seco, duro insípido e beber uma dose pequena de suco de uva, que me até deixaria sedento por mais. Havia muito mais. Esta atitude me levava à obediência e a adoração ao meu Deus.

A implicação horizontal.

Na mesa, naquela noite, me lembrei de sua implicação horizontal. A mesa é para comer. Não é para conferências. Não é para descansar. Não é para a decoração. Não é um lugar para ficar. É um lugar para se reunir para participar, de participar, de compartilhar a vida com o outro. Poucas atividades humanas nas fazem estar tão unidos uns com os outros como uma refeição. Inimigos não comem juntos, mas amigos e familiares o fazem. Estamos reunidos em torno da mesa. Amizades são feitas e aprofundadas durante uma refeição. Muitos reencontros familiares ocorrem nas mesas de refeições diversas. Comer é mais do que uma necessidade biológica. É um evento social em que as pessoas permanecem juntas. Olho no olho.

II. O Significado da união com a Família de Deus

Porque nós temos um Pai celestial, nós entramos em um relacionamento pessoal com ele.

O apóstolo João escreveu: “O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, também, para que vós tenhais comunhão conosco, e de fato a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo” (1 João 1:3). Os crentes se reúnem à mesa pensando em Deus. Nós compartilhamos um pai comum.

Porque nós somos uma família, nós nos tornamos parentes uns com os outros.

Muitas vezes, quando assistimos os jogos de futebol percebemos que os jogadores são parceiros, cúmplices, companheiros e quase irmãos. Parece muito estranho, ao sei se você já reparou, que os jogadores pegam na mão de um companheiro de equipe em um momento ternura, abraçam, beijam no rosto ou na testa, principalmente em finais de campeonato. Um sentimento único. Eles juntam suas mãos para um objetivo comum, ganhar o jogo. Na mesa da Ceia do Senhor, em adoração, temos mais uma razão para darmos as mãos. Porque entramos em comunhão com Deus através de seu Filho, Jesus Cristo, e somos agora uma parte de sua família. Temos uma afinidade, uma relação de sangue com aqueles que estão ao redor da mesa e com quem sentou ao nosso lado no culto.

Os primeiros cristãos não se dedicavam as atividades sociais como fazemos hoje, mas a uma relação de parentesco, um com o outro que consistiu em compartilhando a vida de Deus através do Espírito Santo. A linguagem do livro de Atos indica que estes crentes não eram conhecidos, eles eram pertencentes a uma família da fé. A palavra igreja é derivada da palavra que em grego, significa “reunião”. Não uma reunião qualquer. Mas, uma reunião em que o propósito é compartilhar algo de bom, ou para compartilhar uma boa notícia.

Porque nós somos amigos, nós entramos em uma comunhão uns com os outros.

Muitas vezes, quando ouvimos a palavra comunhão pensamos em “café”. Mas o significado da palavra é muito mais profunda do que a atividade meramente social. Comunhão significa compartilhar. Isso implica que compartilhar algo com alguém, como o dinheiro, palavras de encorajamento, confissões de fracasso, ou declarações de necessidade. Isso também implica que nós compartilhamos algo com alguém, como tristeza, alegria, ou uma área de interesse mútuo. Comunhão é expressa pela interação pessoal dentro da igreja – entenda “igreja”, como aqueles que se reúnem em comunhão, não é o local, e sim, as pessoas. Onde esta qualidade abunda, as pessoas são livres para expressar o que há de mais profundo dentro si. Essas emoções e experiências que se encontram perto do centro de ser pode ser expresso sem medo de rejeição. A comunhão é a expressão de amizade daqueles que pertencem à Família de Deus.

Porque somos seguidores de Cristo, nós entramos em uma parceria uns com os outros.

Considerando o parentesco descrito entre os crentes como uma família, e na comunhão descrita os crentes como os amigos, a parceria descreve os crentes como os diretores de uma empresa. A parceria de negócios é formada a fim de atingir um objetivo, como o fornecimento de um serviço ao público em um benefício para os parceiros – o lucro. Da mesma forma, o conceito de parceria espiritual implica que ele é criado com o objetivo de promover o evangelho e edificar os crentes – o lucro aqui é fazer discípulos para Jesus.

Paulo, o apóstolo, escrevendo aos Gálatas explicou que a igreja em Antioquia havia dado sua aprovação e bênção, para levar o evangelho de Cristo para o mundo gentio. Ele escreveu: “E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão;” (Gálatas 2:9). A mão direita de companheirismo (as destras) implicava mais do que um mero gesto cortês de enviar, era uma obrigação, um contrato, um acordo de cavalheiros que iriam trabalhar juntos como parceiros para atingir o objetivo de alcançar as pessoas para Cristo. Divididos em segmentos, porém unidos pelo mesmo objetivo.

Enquanto nos reunimos em torno da mesa da Ceia do Senhor, nunca devemos esquecer aqueles além da mesa, fora dos muros da igreja estão também trabalhando como nós. Constantemente temos de nos lembrar em vincular os braços e as mãos para a obra do Senhor em nós. A Igreja não existe apenas para a comodidade e conforto dos crentes, mas também para alcançar aqueles que estão perdidos e em busca de Cristo. Tem sido dito que a igreja é a única organização que existe para o benefício daqueles que não são seus membros. Os crentes que se reúnem à mesa se reúnem para um objetivo comum para proclamar o evangelho de Jesus Cristo.

Conclusão: A próxima vez que você se reunir à mesa da Ceia do Senhor, comer o pão e beber do cálice, lembrando que Jesus fez e da família da qual você é agora uma parte, expresse sua simpatia, preocupação, apoio, incentivo para os outros, amplie sua fé e testemunho para os que estão além da mesa da Ceia do Senhor.

, , , , , , ,

Deixe um comentário

Pastoreando a família: O pastoreio do pai


Série: Pastoreando a FamíliaSer pai, a tarefa mais difícil da terra.

O pai é diferente da mãe. A mãe sente seu filho no ventre, sente-o crescer, sente as suas pulsações, o pai não. A criança nasce e sua afeição inicial está intrinsecamente ligada a vida da mãe.

Ela é a protetora, a provedora dessa criança, ainda tão indefesa. O pai observa tudo isto, compartilha de toda essa graça, mas ainda não se sente pai, até aquele dia que ouve dos lábios do filho gerado, a palavra “pai”, ser chamado de pai.

O pai cristão tem a responsabilidade de formar crianças à imagem de Cristo Jesus. O pai deve modelar para o filho o Senhor Jesus Cristo, para que o filho siga os seus caminhos.

Chamamos isso de “pastoreio do pai”.

Todo pai é um “pastor” do rebanho que Deus lhe concedeu.

É interessante traçar os paralelos entre o papel do pastor e o papel dos pais.

Vejo pelo menos três responsabilidades paralelas entre os dois:

I. O pai pastor deve conduzir seus filhos a Deus (Intercessão)

Segundo Atos 6:2,4, uma das primeiras grandes responsabilidades do líder espiritual é a oração. Os pais que oram por seus filhos providenciam alguma forma de proteção para eles contra as doenças do pecado. O pai intercessor ergue paredes de proteção ao redor de seu filho, preocupando-se com seu bem estar, seu relacionamento com o Senhor, pecado, etc.

O pai que ora continuamente pelos filhos certamente agirá também para protegê-los contra o pecado.

Mas como orar pelos filhos?

Pais cristãos devem orar por pelo menos por uma destas áreas:

a) Caráter dos filho (o fruto do Espírito, Gl 5:22 junto com a compreensão da sua identidade como filhos de Deus em Cristo, Ef 1:15-23,3:14-21)
b) Carreira (orar ao Senhor da seará que use meus filhos para expandir Seu Reino no mundo-Lc 10:2)
c) Casamento (orar que Deus direcione meu filho ao cônjuge com quem compartilhará sua chamada para o resto da vida)

O pai cristão intercede pelos seus filhos. Pois como pastor, que se dedica à oração e ao ministério da Palavra, o pai pastor também se preocupa com o ensino de seus filhos.

II. O pai pastor deve apresentar Deus aos seus filhos (instrução)

O pai pastor está sempre ensinando seus filhos pelas palavras, pelas ações e pelas atitudes. É impossível escapar do olhar destas pequenas ovelhas, que admiram tanto seus “pastores”. Sempre estamos transmitindo o que somos para elas. Com tempo, os filhos se tornam o que os pais são. Por isso o “pai cristão” tem que reconhecer que ele é um “pai professor”, sempre instruindo seus filhos e vacinando-os contra a doença que chamo “amnésia espiritual”.

Amnésia espiritual é a doença que aflige os filhos de crentes que não se esforçam em transmitir sua fé para a próxima geração. É a memória de Deus apagada da vida de um filho pela negligência dos pais. Em Dt 6:6-9, nos lemos: “Estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas.”

Conforme estes versículos, o pai pastor (instrutor e mestre) aproveita toda oportunidade para ensinar seus filhos os valores e princípios bíblicos transmitidos pelo Supremo Pastor. Ensina a Palavra formalmente e informalmente, propositalmente e espontaneamente, em todo lugar e em qualquer lugar, em todo tempo e o tempo todo. Não é um fanaticismo evangélico mas um estilo de vida que avalia toda a vida por uma perspectiva bíblia. “O pai que ama Deus de todo coração, transmite sua fé à outra geração!”

III. O pai pastor deve disciplinar os seus filhos (Intervenção)

A última responsabilidade do “pai-pastor” segue naturalmente as primeiras duas. Provérbios 22:6 chama o pai para “ensinar a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho, não se desviará dele.” Junto com este texto, Efésios 6:4 chama os pais (o termo “pais” designa especificamente homens) a “não provocar seus filhos à ira, mas criá-los na admoestação e na disciplina do Senhor.” Assim como o pastor de rebanho vai atrás de ovelhas desgarradas e às vezes precisa discipliná-las, para que evitem perigos maiores longe do aprisco, os pais precisam intervir na vida dos seus filhos com disciplina equilibrada.

O equilíbrio entre instrução e intervenção ou seja, disciplina, pode ser entendida por meio de uma analogia. O pai vai na frente do seu filho como alguém que quer cavar uma trilha ou valeta em que o filho pode caminhar. No início, a valeta está muito rasa, e o filho pode sair dela com facilidade. Quando isso acontece, o pai coloca seu filho de volta na trilha cavada com firmeza e amor. Com o passar de tempo, a valeta fica cada vez mais funda, e o filho só poderá escapar dela com grande esforço. Quando isso acontece, o papai o coloca dentro do caminho de novo. Depois de 18 anos, a trilha deve ser tão profunda, que o filho teria que chamar o corpo de bombeiros e uma escadona para sair do caminho do Senhor. É possível, mas não muito provável.

O pai que realmente ama seu filho precisa intervir quando este deixa o caminho da instrução. Provérbios recomenda o uso da vara, uma consequência artificial mas estruturada pelos pais, para desviar os filhos do pecado. Deve ser aplicada com força suficiente para arder mas nunca ferir a criança. Assim o pai ajuda seu filho a associar o pecado com dor, assim evitando conseguências muito piores no futuro, proporcionadas pela própria vida.

Pais, não posso pensar em presente maior que você possa dar a seu filho do que ser um exemplo de seriedade e reverência para com Deus em sua vida. Caminhar em Cristo, será um referencial inesquecível que ajudará a construir o caráter de seu filho. Você não será perfeito, pois por definição somos imperfeitos, mas a integridade de reconhecer um erro e pedir perdão deverá ser uma marca do pai cristão.

E assim, juntos, pais e filhos procurando conhecer a vontade de Deus para nosso relacionamento, teremos muito mais chances de acertar!

, , , , , , , , , , , , , ,

4 Comentários

Esboços de Sermões


pulpitoAmados! Esboços de Sermões, quando compartilhados servirão para inspirar, orientar e ensinar.

Quantas vezes foram, que ao ler alguns esboços, a pregação contida neles me inspiraram a continuar no ministério pastoral! Foram Palavra de Deus de encorajamento para o meu coração, como pastor. Pois, pregamos todos os dias, escrevemos todos os dias, e quase não ouvimos, no sentido de nos alimentarmos da Palavra. Sempre estamos preparando para alguém ouvir. E muitos esboços não são para nós pregarmos para os outros, são respostas de Deus para os nossos corações.

Os esboços de sermões, confessam fé, doutrina, e o fazer teológico, segundo Barth. Por isso, muitas vezes, lemos e na nossa mente teológica discordamos ou imaginamos algo diferente. Dentro dessas contradições edificamos e somos edificados em Cristo Jesus.

Por isso, desenvolvemos uma programação de sermões próprios e alguns clássicos. Sermões inteiros, esboços e/ou traduzidos. Você também pode mandar o seu, para publicarmos. Para enviar seu esboço ou sermão completo, envie por email: pastor.derville@gmail.com

Deus lhes abençoe

Seu Conservo em Cristo,

Pastor Derville

, , , , , , , , , , , , , ,

3 Comentários

Você está disposto a ser um Noé para a geração de hoje?


Gênesis 6:8-13

Noé viveu em tempos maus, o comportamento da humanidade tinha chegado a um ponto tão ruim que a solução deveria ser um julgamento.

Você já reparou nas páginas das Escrituras que Deus tem uma maneira de lidar com a degeneração humana? Quanto mais o homem se degenera, mais o testemunho de Deus se intensifica. Deus sempre considera um homem especial para as circunstâncias,  foi assim com Moisés, Elias, Daniel e antes do dilúvio com Noé.

O mundo estava ruindo em torno dele, mas Noé ficou como o granito apontando para Deus e testemunhando o julgamento por vir. De geração em geração Deus levanta os únicos, especialmente escolhidos, povo dotado de poderes especiais. O processo de seleção está no coração das pessoas daqueles que estão dispostos a servir. Noé foi fortalecido por Deus, porque ele estava disposto a servir e fazer o que Deus precisava. Independentemente de quem concordavaou não, Noé estava disposto a defender o que era certo.Você está disposto a ser um Noé para a geração de hoje? Deus precisa de homens e mulheres que estão dispostos a tomar uma posição para o que é certo. Homens e mulheres que são honestos e verdadeiros, dispostos a fazer mais do que apenas falar sobre a vida de Deus, mas viver, ensinar e ser um testemunho do seu amor, compaixão e até mesmo o julgamento de Deus.

O que é preciso para ser um Noé em geração de hoje, a mesma coisa que teve de ser Noé em sua geração? Vamos olhar para o que a palavra de Deus tem a dizer sobre ser um hoje Noé?

1. Perdão (V.8) – “Noé achou graça aos olhos do Senhor”

Graça: a favor imerecido, começar algo que não merecia.

2.   Fidelidade (V.9)

Fiel – Correto no seu discernimento, comportamento, caráter e obediente a Deus

Perfeito – na sua integridade, tempo e estilo de vida

Gerações – 1 ocorrência r os resultados da vida de Noé, o centro de sua vida (Deus); ª ocorrência identifica vida de Noé, em contraste com o dia em que estava vivendo dentro

Caminhou – testemunha a forma de Noé da vida.

A. justo em caráter de conduta (Fiel)

B. Irrepreensível (Perfeito)

C. Obediente (andou com Deus)

3. Fértil (V.10)

Gerou – literalmente fala ao pai de três filhos, fala metaforicamente o fruto de sua caminhada obediente com Deus.

Fruto imediato de Noé foi seus três filhos. No entanto, que as pequenas e insignificantes à procura de frutos desenvolvidos em população do mundo hoje.

O fruto do seu trabalho para Deus pode parecer pequeno, mas não desanime, você não pode ver os resultados da sua obediência. Sem, Cam e Jafé não, mas eles têm impactado um planeta por causa da obediência frutífera de Noé. Não estou necessariamente falando de pessoas reproduzindo, estou falando de comunicação do evangelho a todos que podemos, cada oportunidade que temos, não sabemos qual o impacto que podemos ter na vida de alguém.

Conclusão: Você tem os três ingredientes para ser Noé hoje?

Primeiro de tudo você está perdoado, nascido de novo e no seu caminho para o céu.

Segundo és fiel às coisas de Deus em sua vida. Eu não perguntei se você é fiel à Igreja, ou para serviços ou à família ou emprego ou qualquer coisa assim. Você está disposto a deixar Deus te usar para alcançar outros, você está disposto a deixar Deus desenvolver em você o serviço de Noé?

Terceiro você está fértil hoje? No final do dia você pode olhar para trás e realmente encontrar frutos espirituais? Do que você se aproximar de Deus em uma base diária ou mais longe? Você percebe que Deus realmente preciso de você para realizar Sua vontade aqui na terra? Você precisa trabalhar em qualquer uma dessas áreas? Talvez Deus tenha revelado alguma outra área em sua vida que precisa de trabalho, esta manhã, se assim como nossos músicos vêm e se preparar para nós um hino de convite que você sair e lidar com o que nunca é Deus revelou a você.

, , , , , , , ,

1 comentário

Como é que as pessoas podem realmente mudar?


pulpitoIntrodução

Quando suas metas não estão sendo atingidas, pensam em mudar.

Quando o dinheiro acaba, e as dívidas aumentam, pensam em mudar.

Quando a vergonha as expõem, pensam em mudar.

Quando suas esperanças acabam, pensam em mudar.

Quando abandonadas ou traídas, pensam em mudar.

Quando a vida perde o sentido, pensam em mudar.

Muitos são os motivos que nos levam a pensar em mudar.

O grande perigo é quando pensamos que nós, por nós mesmos, podemos ou temos a presunção de termos o “poder” para mudarmos – pensarmos que somos deuses e que estamos no controle! E, daí em diante caímos em profundo abismo.

A Palavra de Deus vai neste momento revelar.

O Espírito de Deus vai neste momento remover.

A Palavra de Deus nos ensina que podemos realmente mudar quando:

1) Andamos com Deus

a) em comunhão com Cristo;

b) em viver pela verdade;

c) em transparência;

d) em comunhão uns com os outros;

e) confessando os nossos pecados

1 João 1:5-9

2) Andamos em Humildade – pedindo perdão

1 Pedro 5:6

Lucas 18:14

3) Andamos em Amor – concedendo perdão

Efésios 4:26-27,31

4) Andamos sem Medo – confiantes em Deus

2 Timóteo 1:7

Romanos 8:1 5

5) Andamos em Liberdade – libertos em Deus

Gálatas 5:1

6) Andamos em Testemunho – confessando nossos pecados uns aos outros

Tiago 5:16

Conclusão

1. Deixar a luz de Deus remover a coisas escondidas e definir a nossa liberdade

Salmo 139:23-24

2. Leia Tiago 5:16. Você pode confessar agora?

3. Revelar & Remover não escondendo nada, traz a verdadeira liberdade? O que pode estar escondido na sua vida, que possa estar roubando a sua liberdade

4. Você realmente quer mudar a partir deste momento?

, , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Atenção Pastores!!!


cafezinhoEu gostaria de sugerir que, nesse momento, você fizesse uma breve pausa nesta leitura, desse uma boa espreguiçada, esticando os seus braços para o alto, desse um suspiro profundo – pelo menos duas ou três vezes – e lesse com atenção essas breves linhas:
Na última Olimpíada de 1996 que teve lugar em Atlanta, na Geórgia, certamente que houve momentos memoráveis, os quais ficarão registrados nos anais do momento máximo do esporte mundial.

Um dos pontos altos dessa última competição teve como personagem a jovem americana Kerri Strug, vencedora da equipe de ginástica, representando o seu país.

Durante um dos seus voleios sobre a barra, ela sofreu uma séria contusão no tornozelo esquerdo. A dor era intensa e quase que insuportável; porém, com uma determinação de ferro, ela foi em frente até ao último minuto da sua apresentação, consciente de que deveria fazer aquilo para o qual fora convocada a fazer.

Na conclusão do seu último voleio, a jovem desmaiou de tanta dor e teve que ser carregada, a fim de receber o prêmio mais cobiçado de toda a competição. Suas palavras, após o recebimento da medalha de ouro, foram estas: “Eu simplesmente coloquei na minha mente que tinha que prosseguir até o final. Eu não poderia desistir naquele momento. A dor era intensa e na minha mente eu ensaiava dizendo: só falta mais um voleio, eu posso conseguir, eu posso conseguir…!”

Mary Lou Retton, outra atleta notável e também vencedora de várias medalhas de ouro nas Olimpíadas de 1984, escreveu um artigo no jornal “USA Today” sobre a conquista de Kerri.
Ela aplaudiu a determinação da jovem ginasta e fez o seguinte comentário: “Em 1984, seis semanas antes dos jogos de Los Angeles, eu tive uma cirurgia, a fim de reparar uma contusão no meu tornozelo esquerdo. Prá mim, fazer uma exibição de ginástica, envolvida em meio a grande dor física, já fazia parte constante de minhas competições.

Lembre-se que para a maioria dos atletas a dor é uma parte inerente ao processo. Essas meninas que competiram em Atlanta trabalharam a maior parte das suas vidas para chegar até aquele momento. A dor não irá impedi-las de alcançar o seu alvo porque a dor já faz parte daquela jornada.

O ministério cristão é muito semelhante a um evento atlético. Ouça essas palavras… “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.

Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma” (Hebreus 12:1-3).

Duas vezes o texto faz referência ao que Jesus “suportou.” Paulo, escrevendo a Timóteo, o exorta dizendo: “Participa dos meus sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus” (II Timóteo 2:3).

As Escrituras, ao longo de todo o seu contexto, está repleta de exemplos e de ilustrações de indivíduos que encararam dificuldades e aceitaram as dificuldades em seus ministérios dedicados ao Senhor. Alguns deles foram especificamente mencionados pelo nome, em Hebreus 11. Por exemplo… “Moisés…recusou ser chamado filho da filha de Faraó, preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado.” (Hebreus 11:25).

Outros, ainda “…fecharam a boca de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros.

Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados… outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões. Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos a fio de espada; … necessitados, afligidos, maltratados (Hebreus 11:32-38).

Possivelmente, após ler esta lista de dificuldades, os seus problemas talvez já nem pareçam tão grandes ou mesmo pesados como há alguns momentos atrás. Permita-me concluir com um poema de um autor desconhecido, o qual, porém, tem falado sempre ao meu coração em tempos de desencorajamento:

Não desista!

Quando as coisas não vão bem, como pode acontecer,
Quando a estrada só vai para cima e nunca parece descer,
Quando o dinheiro é pouco, e as dívidas como o mar,
Quando se quer sorrir, mas só se pode chorar,
Quando há cuidados que nos querem oprimir,
É preciso descansar, mas nunca desistir!

Com suas reviravoltas, a vida vai correndo E todos nós acabamos aprendendo Que muitos dos nossos erros poderiam ser evitados Se tivéssemos persistido e não desanimado.

Não desista então, mesmo que a coisa não caminhe,
Você pode vencer, com só mais uma forcinha!
Sucesso não passa de fracasso às avessas,
É o brilho que se vê ao redor das nuvens mais espessas.
Você nunca sabe se está prestes o seu alvo de atingir,
Pode estar chegando, embora não o possa discernir;
Portanto, continue lutando quando a dura luta chegar,
Quando tudo parece pior é que você não pode desanimar!

Autor Desconhecido
Tradução J.W. Faustini, 1996
Continue encorajado na abundante obra do Senhor, sabendo que o seu trabalho não está sendo em vão!

, , , , , ,

Deixe um comentário

Vida abundante


pulpito“A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou a realizar a sua obra.” João 4:34

 “Contentamento transforma um homem pobre em rico. Descontentamento transforma um homem rico em pobre.” Benjamin Franklin

 

Introdução:

A corrida em busca da própria satisfação sem olhar para a vontade de Deus.

Como posso realizar a obra de Deus, se não reconheço Deus nos meus caminhos?

 

1) Preciso aprender com os detalhes que o Senhor me revela:

 

a) Aprenda a amar e genuinamente apreciar o nascer do por do sol e você será enriquecido todas as manhãs.

Você já observou os segredos que são revelados nas manhãs?

Você já observou os cheiros que as manhãs trazem?

Você já observou os coloridos de cada manhã?

Tudo é possível ao que crê!

As manhãs anunciam a “vitória” que você obterá durante o dia, mas não serão seus esforços que irão agir e sim a sua fé! Creia em Deus!

 

b) Aprenda a amar e dar as boas vindas aos desafios e você irá perceber que aquelas coisas que tem a habilidade de paralisar as outras pessoas, são estas mesmas coisas que irão lhe energizar e lhe trazer um profundo senso de realização pessoal.

Os desafios estão prontos a cada manhã para lhe fazer amadurecer.

Os desafios estão prontos a cada manhã para que você utilize as melhores habilidades.

Os desafios estão prontos a cada manhã para libertar você da escravidão do medo de realizar a “vitória” deste dia.

Em Jesus somos fortalecidos a cada manhã.

Os desafios o farão superar seus próprios obstáculos. Abra um sorriso e creia em Deus!

 

c) Aprenda a amar as pessoas ao seu redor e a sua riqueza irá multiplicar em cada vida que você vier a tocar.

As manhãs lhe proporcionam revelações para a vitória que Deus irá lhe trazer como também os desafios que você, fortalecido por Jesus, irá superar ainda neste dia.

Mas, nada disso poderá valer, se você não amar pessoas.

Nesta manhã, conte para as pessoas o que Deus está lhe revelando.

Nesta manhã, abençoe cada pessoa que você encontrar.

Nesta manhã, toque nas pessoas com o toque do amor de Deus.

Sem amor você não pode fazer nada.

 

2) Deus tem nos chamado a viver vidas simples e descomplicadas, mas a nossa tendência é a de complicá-la e ao fazermos isso trazemos dores e traumatismos desnecessários à nossa existência.

 

a) Ser verdadeiramente rico não consiste necessariamente em adquirir tudo o que você deseja.

Na busca do ter, você pode se machucar e machucar muita gente ao seu redor.

O segredo para ser rico é ter uma vida rica – vida abundante.

O segredo para ser rico, na visão de Deus, é escolher o permanente e não o passageiro – vida eterna.

O segredo para ser rico, é entender como a vida funciona – início, meio e fim.

O segredo para ser rico, é entender como o Reino de Deus funciona – plantar, cuidar e colher.

O seu coração carrega toda a sua riqueza.

Existe uma grande diferença em “ser” rico e “ter” riquezas.

 

b) A verdadeira riqueza consiste em amar e ser grato por aquilo que você já tem e ser o que você realmente é.

Gratidão – palavra que é muito esquecida nos nossos dias.

Estar contente com o que você já tem – eis o grande segredo.

Grato e contente em ser quem você realmente é.

Você foi formado para agradar a Deus.

Você foi formado para ser um servo de Deus.

 

3) Deus lhe fez singular e basicamente já tem lhe dado tudo o que você necessita.

 

a) Aprenda a amar o que você já tem e a sua vida será abundantemente enriquecida.

b) Tudo aquilo que você realmente ama, valoriza e verdadeiramente aprecia certamente que tem o potencial de enriquecer a sua vida.

, , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

CONFLITOS NA FAMÍLIA DE DEUS


pulpitoTiago 4:1-12 (NVI)

1 De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês?

2 Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e a fazer guerras. Não têm, porque não pedem.

3 Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres.

4 Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus.

5 Ou vocês acham que é sem razão que a Escritura diz que o Espírito que ele fez habitar em nós tem fortes ciúmes?

6 Mas ele nos concede graça maior. Por isso diz a Escritura: “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”.

7 Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês.

8 Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês! Pecadores, limpem as mãos, e vocês, que têm a mente dividida, purifiquem o coração.

9 Entristeçam-se, lamentem-se e chorem. Troquem o riso por lamento e a alegria por tristeza.

10 Humilhem-se diante do Senhor, e ele os exaltará.

11 Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga o seu irmão, fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está se colocando como juiz.

12 Há apenas um Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e destruir. Mas quem é você para julgar o seu próximo?

Por que temos tantos conflitos uns com os outros? Por que brigamos tanto? O mundo está cheio de pessoas degeneradas cujas vidas estão cheias de todo o mal, portanto, as pessoas não podem fazer mais nada a não ser a guerra de uns contra os outros.

Até mesmo dentro da família da fé, muitas vezes surgem brigas.

Qual é a origem disso tudo?

1. A causa dos conflitos pessoais

a. Alguns, que se denominam “cristãos” têm desejos por coisas mundanas e ainda afirmam que podem ser auto-controladas. v.1

Seus interesses X interesses dos outros

Guerra dentro de si, interior, dos seus membros = o conflito interno, físico e mental dos elementos do corpo que deseja cumprir todas as suas egocentridades e todos os prazeres incontrolados do coração.

Guerras e combates que não começam do lado de fora, mas no interior de cada homem.

Marcos 7:21-23

21 Pois do interior do coração dos homens vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, os homicídios, os adultérios,

22 as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, a arrogância e a insensatez.

23 Todos esses males vêm de dentro e tornam o homem ‘impuro’ “.

b. Alguns, que se denominam “cristãos” sentem constantemente uma falta de vontade de serem controlados pelo Espírito Santo. v.2A

Você tem luxúria e não têm: Nossos desejos egoístas nos conduzem as contendas, conflitos, guerras e batalhas, porque esses alimentos servem a velha natureza em vez de alimentar a nossa nova natureza.

A velha natureza diz: “dou um boi para não entrar numa briga, mas dou uma manada para não sair de uma!”

O coração do homem natural nunca está contente. Quando o corpo, a mente e o espírito não se rendem a Deus, então, ele se torna um círculo vicioso de procurar e procurar, mas sem nunca estar satisfeito.

c. Alguns, que se denominam “cristãos” têm uma doença complicada que é a “alergia a uma vida de oração”. v.3

Inimizade = falta de sinceridade no coração, adoentado, pedimos com motivos errados

Nós não pedimos, a fim de cumprir perfeita vontade de Deus, mas, a fim de cumprir nossos planos pecaminosos e nossa vontade egoísta.

d. Alguns, que se denominam “cristãos” desejam ter uma amizade especial com o mundo. v.4

Adultério = adultério espiritual contra Deus quando buscamos após outros deuses, como o prazer e as coisas oferecidas pelo mundo

É impossível ser um amigo do mundo e de Deus, ao mesmo tempo.

Lucas 16:13

“Nenhum servo pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará outro, ou se dedicará a um e desprezará outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro”.

Deus não vai corresponder ou se relacionar com quem ficar assim, com lealdade dividida entre Seus filhos.

O mundo = a filosofia e as práticas desse homem – centrado em Satanás – dirigidos por um sistema ateu e uma sociedade com múltiplos deuses em que vivemos, e com práticas fora da Palavra de Deus, não poderá ser considerado um filho de Deus, um cristão!

PRIMEIROS RESULTADOS TRÁGICOS CAUSADOS PELO MUNDANISMO:

Amizade = mistura-se com a multidão (passa a acreditar que TODOS são filhos de Deus)

Amor = tendo um carinho pelas coisas mundanas, mesmo alegando que “conhece” a Jesus – 1 João 2:4 “Aquele que diz: “Eu o conheço”, mas não obedece aos seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele.”

Conformismo = tendo no mesmo molde do mundo – Romanos 12: 2 “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Carnais = perda de recompensas – 1 Coríntios 3:1-3, “1 Irmãos, não lhes pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a crianças em Cristo. 2 Dei-lhes leite, e não alimento sólido, pois vocês não estavam em condições de recebê-lo. De fato, vocês ainda não estão em condições, 3 porque ainda são carnais. Porque, visto que há inveja e divisão entre vocês, não estão sendo carnais e agindo como mundanos?”

Porque havemos de odiar o sistema mundial CONTROLADO POR Satanás? Porque temos um Deus zeloso, que quer a nossa total fidelidade v.5

2. A cura para conflito pessoal

a. Submeter-se, pois, a Deus: a colocar-se na categoria  de submissos a Jesus Cristo

b. resisti ao diabo = submetendo a Deus

Saturar as nossas mentes com a Palavra de Deus. 2 Timóteo 3: 16, 17 – “16 Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, 17 para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.”

Saturar as nossas vidas com orações. João 15:7,  “7 Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido.”

c. Presença de Deus: o desejo de uma verdadeira relação estreita com Ele – Hebreus 4:16, “16 Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade.”

d. Limpe as mãos e purifique seu coração = simbolicamente lavar significa estar afastado do pecado em uma apresentação da vida e divino perdão a Deus por mim – João 1:9, “Estava chegando ao mundo a verdadeira luz, que ilumina todos os homens.”, Salmo 24:4-6 , “4 Aquele que tem as mãos limpas e o coração puro, que não recorre aos ídolos nem jura por deuses falsos. 5 Ele receberá bênçãos do SENHOR, e Deus, o seu Salvador lhe fará justiça. 6 São assim aqueles que o buscam, que buscam a tua face, ó Deus de Jacó.”

e. Seja aquebrantado = sendo aquebrantado e sentindo-se miserável por causa de nosso pecado, Salmo 51: 17, “17 Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.”

f. Humilde = rebaixado e fazendo-nos ver os nossos pecados como uma terrível ofensa contra Deus, 2 Crônicas 7:14, “se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra.”

, , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Sete Maneiras de Amar a Sua Mãe


dia_das_maes-copyJoão 19:26-27

26 Quando Jesus viu sua mãe ali, e, perto dela, o discípulo a quem ele amava, disse à sua mãe: “Aí está o seu filho”,

27 e ao discípulo: “Aí está a sua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a recebeu em sua família.

Maria assistiu a crucificação ao pé da cruz.

Você nem pode sequer imaginar como ela se sentiu?

Jesus transforma a João em responsável pela sua mãe e diz que deverá cuidar dela como se fosse o próprio filho. E olha para sua mãe e diz, para deixá-lo ficar na minha casa como seu filho. João viveu uma vida muito longa, e acredito que ele teve um cuidado muito especial com Maria até a sua morte.

Jesus está na cruz, tendo o peso dos pecados de todo o mundo em seus ombros, mas Ele a vê, e para certificar-se do seu cuidado, designa João, para cumprir os compromissos de filho. Ele está mostrando a todos nós hoje como é importante cuidar e amar nossas mães!

Você poderá amar a sua de sete maneiras:

1. Ame verbalmente.

Uma mulher precisa ouvir essas palavras, “Eu te amo!”

Os filhos precisam ouvir o papai declarar publicamente que ama a sua mãe. Para aprender e repetir cada per si, “eu te amo mamãe”!

2. Ame fisicamente.

Quando foi a última vez que você lhe deu um grande abraço? Ou pediu para ela um beijo no rosto?

Ela foi a primeira pessoa que você teve contato, depois de se tornar um feto.

Ela limpou você, banho, boca, fezes, nariz. Ela observou sua febre – e não importava a hora.

Ela tocou você o tempo todo.

Abrace e beije sua mãe, todos os dias. Significa mais a ela do que flores ou doces, ou comer fora, ou um colar de diamante colar [bem, não vamos ir longe demais!]

Então, quais são as maneiras de amar a sua mãe?

Fisicamente, verbalmente …

3. Ame pacientemente.

As mães têm um incrível trabalho não remunerado. Nenhum tipo de trabalho no mundo dos negócios se compara ao trabalho da mamãe – físico, emocional e espiritual que envolve todo o seu compromisso com a maternidade.

Não é Profissão!

Almoços, Cafés, Lanches, Jantares, roupas pra lavar, choros, preocupação com você … isso tem preço?

Paciência …

4. Ame atentamente.

Mães ouvidos, coração, você já notou? Ela já ouviu … e o coração? Já está na boca …

Atentamente, seus minutos são contados. Sabe se você comeu ou não. Se dormiu ou não.

Quanto tempo você fica atentamente observando sua mãe?

Atenção, paciência …

5. Ame com gratidão.

Ela precisa de um sincero “muito obrigado”, e não apenas hoje, mas a partir de um coração verdadeiramente agradecidos  – quando menos esperamos!

Agradeça … você sabe fazer isso?

6. Amar generosamente.

Ela deixou muitas coisas por você: oportunidades, trabalho, carreira, estudo …

Ela trocou tudo por você e nunca se arrependeu …

E, você, abandonaria algo pela sua mãe?

Ame sua mãe generosamente  …

7. Ame honrosamente.

Êxodo 20:12 – 12 “Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o SENHOR, o teu Deus, te dá.”

Isso é obrigatório, enquanto sua mãe vive.

Ore: Senhor, ajude-me a nunca estar demasiado ocupado ao ponto de desprezar meu tempo com a minha mãe … me ajude a amá-la, respeitá-la, honrá-la, enquanto ela estiver na minha vida! Em Nome de Jesus, Amém.

, , , , , , , , , , , , , , ,

1 comentário

Ministério com foco


pulpitoEntão Pedro, voltando-se ao redor, viu o discípulo que Jesus amava seguinte. . . . Pedro, vendo-o, disse a Jesus: “Mas, Senhor, o que acontece com este homem?” (João 21:20-21)

Introdução:

A primeira coisa a fazer depois de Deus fala com você é crítica.

Jesus estava dizendo a Pedro que tipo de ministério que ele tem e qual o tipo de morte que ele iria sofrer (vv. 18-19).

Foi um momento sagrado na vida de Pedro, era como se seu Senhor houvesse puxado para trás a cortina, mostrando, revelando o seu futuro.

Sua vida, não era para ser uma vida fácil, mas uma vida ordenada e abençoada por seu Senhor e Mestre.

1. Para onde Olhar?

Ao invés de responder ao que Jesus lhe disse, Pedro olhou ao redor em seus companheiros discípulos.

Seu olhar caiu sobre João, o discípulo que Jesus amava. “Mas, Senhor, o que acontece com este homem?” Pedro perguntou.

Pedro tinha acabado de ter a triste notícia da sua morte no futuro.

Como é humanamente natural, para comparar a sua missão com a dos outros, ele tem curiosidade sobre a de João!

2. A quem você se compara?

Esta é a grande tentação dos servos de Deus: comparar a nossa situação com a dos outros.

Deus fez o meu amigo conquistar uma casa maior que a minha?

Será que Deus vai curar o meu amigo amado e não a mim?

Será que Deus vai  permitir que o meu amigo receba elogios e reconhecimento pelo seu trabalho enquanto eu permaneço anônimo?

Será que Deus vai permitir que outro cristão se próxime de sua família enquanto estou longe da minha?

3. Onde está o seu foco ministerial?

Jesus atribuiu Pedro e João a caminhar dois caminhos diferentes, mas ambos Pedro e João têm enriquecido as nossas vidas – hoje.

Jesus sabia o quão perigoso é quando agente abre os olhos abrangendo além do principal, pois é quando poderemos centrar-nos em um companheiro, um servo de Deus a ser por nós comparado.

Onde está o seu foco?

Você está mais preocupado com o modo como Deus trata alguém, do que a maneira que Deus resolveu “formar” a sua vida ministerial?

Isso realmente lhe interessa?

, , , , , , , , , , , , , ,

1 comentário

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 203 outros seguidores